Porque as mulheres adoram se fazer de vítimas parte 2

Mais uma vez, peço que antes de começar a ler esse post, assista com atenção esse vídeo, no qual uma mulher desmascara a farsa do vitimismo feminino, que é alimentado pela mídia e pelo feminismo.

O vitimismo, é usado pela mulher da mesma forma que a cultura da pegada, mas para obter outros tipos de vantagens.
A mídia, sempre retrata a mulher como um ser mais inocente, honesto, indefeso, uma vítima de uma sociedade machista e opressora.
Quando a mulher comete algum crime, a mídia sempre tenta fazer alguma conexão com alguma suposta influência maligna dos homens sobre ela.
Como por exemplo no caso em que a assassina esquartejou o corpo do marido, e a mídia com total apoio das feministas, inverteu os papéis, e de psicopata a mulher passou a ser a vítima!
Mas será que se fosse o contrário, a sociedade teria aceitado essa inversão com tanta facilidade?
Nas conversas, elas culpam os homens por tudo, principalmente pelo sofrimento amoroso delas e até quando são demitidas, a culpa é do machismo!
Interessante observar que nas redes sociais, quando pela milésima vez alguma mulher vai reclamar de algo, imediatamente várias outras se juntam a ela e os homens apoiam e o que se vê depois é um circo de horrores.
Quando algum homem reclama, é taxado por todos de “molenga” e frouxo, e por aí vai.
Ou seja, enquanto as mulheres reclamam o tempo todo na grande maioria das vezes sem nenhum motivo, apenas para chamar a atenção, a sociedade esmaga imediatamente qualquer pretensão do homem em expor seu sofrimento!
Aos homens, está reservado apenas o direito de trabalhar para financiar os imensos privilégios que a mulher atual possui na sociedade, e nada mais.

Captura de Tela 2013-08-26 às 19.57.01

Não pode sequer tentar expor a realidade porque será execrado por todos, até pelos próprios homens.
Devido ao fortíssimo complexo de superioridade da mulher atual, elas acreditam que é injusto elas sofrerem por qualquer motivo.
Se ela trabalha em uma empresa, e tem um nível de produtividade 20 ou 30% inferior aos homens, e recebe menos, ela vai taxar isso de opressão machista da sociedade, e jamais vai parar para enxergar os fatos de forma madura e realista.
Mas se ela ganha o mesmo que eles, mesmo com menor produtividade, ela se cala e ainda acredita que não estão fazendo nada além da obrigação deles de tratá-la de forma privilegiada pelo fato de ela ser mulher.

O show de vitimismo nas redes sociais

A mulher pobre, que trabalha muito e ganha pouco, nem tem muito tempo para reclamar, embora também reclame muito.
Mas as mulheres “bem sucedidas” reclamam absurdos por qualquer motivo.
A patricinhas reclamam que tem uma bunda ou peito pequeno e que gostariam de colocar silicone, e toda semana a mesma que reclama da baixa autoestima dela, dá dezenas de foras nos Betas.
As meninas de hoje tem muita pressa de entrar no mercado sexual para competir com as mulheres mais velhas.
Elas são compelidas a fazer isso pelo próprio ego e instinto de procriação, e necessitam a todo custo provar sua superioridade frente as fêmeas rivais.
Então começam a dar muito cedo, e para variar, só para os piores caras.
Quando são “usadas” e depois chutadas pelos cafajestes e bandidos que as enrabaram, elas ficam dias seguidos postando frases e dizeres sobre desilusão com os homens e amor não correspondido.
Mas elas só reclamam se elas forem chutadas, porque se são elas que dão o fora, aí tudo muda, e o vitimismo dá lugar ao sarcasmo no mural do facebook, tudo com total apoio das mulheres e dos homens capachos de hoje.
A mulher que usa o vitimismo para chamar a atenção, não é vítima de mais nada além do próprio ego e infantilidade dela!

Captura de tela 2012-12-15 às 18.49.27

Se ela encarasse a vida de forma realista e madura, saberia que existem coisas na vida muito piores do que ser ignorada pelo Alfa da faculdade.
Se o cara não quis come-la, ela sai dizendo para todos que ele é gay ou um machista ignorante porque ele não aceita a promiscuidade ou o passado sexual dela.
Na mente da mulher atual, o homem não tem o direito de dizer não!
Elas simplesmente não aceitam ser contrariadas em nenhum aspecto da vida.

Misandria – Homens são descartáveis parte 1

Porque as mulheres adoram se fazer de vítimas parte 1

Antes de começar a ler esse post, assista esse vídeo.
O que os homens fazem pelas mulheres.

“Se eu fosse bonitão, gostosão e diretorzão você não acharia pegajoso.
Sua opinião de mulher é sempre a mesma merda, culpando o homem por tudo enquanto vocês ficam lá paradas só observando e escolhendo o melhor macho sem fazer porra nenhuma, sem sofrer de ansiedade pra abordar, sem sofrer de solidão, sem ter que ser fodão em tudo o que faz pra ter a minima chance de dar um beijo numa mulher descuidada e sem graça.
Se enxergue.”

Pobretão de vida ruim

Existem basicamente 2 características psicológicas que nascem com uma mulher: a dissimulação e o vitimismo.
Ambos estão intrinsecamente ligados.
O vitimismo, é uma extensão da dissimulação.
Se você parar para observar, vai notar que as pessoas que mais se utilizam do vitimismo, são também as mais dissimuladas e manipuladoras.
Ninguém pode negar que as mulheres adoram fazer o papel de vitimas!

530297_381522261939949_911204241_n

Durante milhares de anos, os homens sempre levaram a pior em tudo: desde morrer em guerras e assassinados, porque a quantidade de homens que são assassinados é 12 vezes maior do que o de mulheres, passando por trabalhar como escravos em jornadas de trabalho que chegavam a 16 horas por dia para levar o sustento para a família, até serem os últimos a abandonarem o navio em nome do “mulheres e crianças primeiro”.
Resumi muito, mas existem milhares de exemplos de como os homens são muito mais oprimidos do que as mulheres.

Captura de tela 2012-12-15 às 18.50.07

Como a própria matéria que postei no link sobre trabalho escravo prova, os homens sempre serão as maiores vitimas da sociedade.
Mas os homens continuam calados, e até certo ponto passivos, sem atitude.
O jovem masculinismo brasileiro é somente uma gota no oceano, e não tem a menor possibilidade de alterar essa realidade em grande escala.
Mesmo sendo historicamente privilegiadas pela sociedade, as mulheres conseguem fazer todos acreditarem que elas é que são as vítimas!
Sobre esse assunto, recomendo ler o livro O sexo privilegiado do historiador Martin Van Creveld.
Nesse livro, o historiador prova que os homens cometem um erro colossal ao tratar a mulher como mera vítima de uma suposta sociedade machista e opressora.
A mulher atual, que se diz tão ou mais capaz do que o homem, nunca abrirá mão do papel de vítima, porque isso é extremamente conveniente para ela.
O vitimismo que as mulheres com mentalidade feminista fazem questão de alimentar pode ser visto nos mínimos detalhes, é só ficar mais atento e observar.
Quando a mulher atual consegue alcançar algum êxito, a sociedade concede a essa mulher todo o mérito, mas se a mesma estiver sofrendo, sempre será encontrada alguma forma de culpar os homens.
Certa vez, resolvi analisar durante 1 mês as frases de msn e facebook das mulheres que eu conhecia.
O resultado foi esse:
Aproximadamente 45% das frases/dizeres eram de puro vitimismo, exemplo:
“ESSE SORRISO EM MEU ROSTO..HOMEM NENHUM VAI ROUBAR……”
30% eram de auto afirmação, exemplo:
“NÃO SOU MULHER DE COISAS FRACAS, SOU MULHER DE COISAS FORTES DE PERIGOS E ADRENALINAS”.
20% eram de provocação social, algo que a mulher “moderna” adora fazer com todos, especialmente com as rivais, exemplo:
“Olhe pro meu corpo e chore, você nunca vai ter o que é meu, olhe pro meu corpo e chore, você é uma comédia, eu sou mais eu! Chora recalcadaaaaaaa!!!”
5% Eram frases de grandes filósofos, que elas postam com o intuito de passar a imagem de mulher inteligente e culta, quando na verdade querem mesmo é engolir porra dos bombados na balada(mas só depois que eles pagarem tudo para elas, óbvio).

Captura de tela 2012-12-15 às 18.56.57

A amoralidade e a paranóia da mulher com mentalidade feminista parte 3

A necessidade de autoafirmação

Para se auto afirmarem como femêas dominantes, e para conseguir atrair os homens mais destacados, as mulheres investem pesado no próprio corpo.
Interessante observar que elas vão a um cirurgião plástico e colocam um silicone inventado por homens, com equipamentos criados por homens, e depois que ficam mais gostosas se sentem superiores a todos os homens!
Depois elas inflam o próprio ego postando fotos nas redes sociais que os homens criaram, capturam algum otário provedor bem mansinho e ficam se vangloriando disso nas conversas com as amigas.
A mulher atual vive como um parasita, e quem permite isso são os frouxos dessa geração de homens “sensíveis”.
Elas trabalham, mas vivem de forma alucinada e para conseguir manter esse padrão de vida, sugam os homens sem remorso.

A educação das mães ensina isso desde o início para as filhas, e a mídia que sempre apóia o feminismo também ajuda a incutir a idéia de que a mulher que se preserva e não quer ser promíscua está se submetendo ao machismo dos homens!
Não existe meio termo para as mulheres com mentalidade feminista, ou elas se preservam e com isso são taxadas de submissas e sem personalidade, ou elas se “libertam” e vivem de forma hedonista para se auto afirmarem como mulheres fortes e independentes.
A mulher atual acha ridícula a idéia de que deve fazer algum sacrifício por um homem, mas exige inúmeros sacrifícios dos homens para fornecer sexo, sendo o dinheiro o primeiro deles.
Mas essa força toda da mulher tem prazo de validade.
O prazo termina quando o tempo se encarrega de deixá-la feia.
Com o fim da beleza, chega ao fim também a capacidade de manipular os homens.

As mulheres quando são jovens, usam para justificar sua promiscuidade um suposto apoio dos homens.
Mas os homens que apóiam a idéia de que a mulher não precisa se preservar, são justamente os piores homens!
A mulher acredita que o cafajeste aceita a promiscuidade dela porque ele é “moderno” e não é machista, mas a verdade não é essa.
São os cafajestes que não querem nenhum tipo de compromisso, e por esse motivo dizem não se importar com o fato das mulheres darem para centenas, as vezes milhares de homens.
Mas esses cafajestes não tem planos de ficar com uma mulher até ela envelhecer e perder seu poder sexual.
Eles só querem comer e jogá-las fora, porque não se apegam sentimentalmente como os bonzinhos.
Mas ao invés das mulheres agirem de forma lógica e optarem por se preservar, elas preferem se tornar lanchinhos de cafas.

Nada na história da humanidade desvalorizou tanto homens e mulheres como o feminismo.
Ambos se tornaram descartáveis, o homem muito mais claro, mas a mulher também quando ela envelhece.
Depois de levar uma vida inteira baseada no egoísmo, na promiscuidade e utilitarismo, a mulher envelhece e se torna descartável, porque no fundo os homens sabem que elas foram arrogantes a vida inteira, e que sempre usaram os homens.
Mas nenhuma feminista vai alertar a mulher atual sobre isso, porque no ideal feminista, tudo o que é do interesse dos homens é machismo!
O homem segundo o feminismo, não tem o direito de escolher uma mulher que não seja promíscua, por isso as feministas odeiam quando ouvem uma mulher dizendo que quer se casar virgem, e hoje as feministas estão muito felizes, porque não ouvem mais esse tipo de “besteira”.
Mas a mulher feia, está na base do mercado sexual, nunca vai ter sucesso pensando assim, porque as gostosas podem arranjar algum trouxa quando envelhecem, mas as feias não.
Se a mulher engravidar e o cafajeste sumir, a mulher vai culpar todos os homens por isso.
Elas erram a vida inteira por terem ideais feministas, mas nunca culpam o feminismo por nada!

A amoralidade e a paranóia da mulher com mentalidade feminista parte 2

Parece que aconteceu algum problema e não está sendo possível ler a parte 1, então aqui vai o link da primeira parte desse post:

https://detonandoamatrix.wordpress.com/2012/11/02/a-amoralidade-e-a-paranoia-da-mulher-com-mentalidade-feminista-parte-1/

O importante é ser feliz e não se é certo ou errado!

Nada vai para frente sem regras.
Sem ordem não existe progresso.
A mulher atual encara um modo lógico e correto de levar a vida como uma forma de opressão criada para regular o comportamento feminino.
O principal meio de poder feminino, e portanto de autoafirmação, é o corpo e o sexo.
Por isso elas gritam tanto quando alguém critica o comportamento e a promiscuidade da mulher atual.
Sem poder usar o sexo como arma, a mulher atual se sente “capada”.
Não é a toa que as feministas criticam tanto a virgindade feminina.

Elas encaram a atitude da mulher que se preserva, que prefere não ser promíscua, como um ato de submissão ao machismo dos homens.
Isso faz com que as mães criem as filhas com uma mente paranóica, no qual se controlar, ser maduro, realista é o mesmo que impedir a si mesmo de ser feliz.

O sexo como um meio de inclusão social

As mulheres e os homens começam a fazer sexo cada vez mais cedo, porque fazer muito sexo se tornou um símbolo de status na sociedade.
É como se alguém que faz mais sexo do que a maioria tenha um corpo superior, e por isso é mais desejado.
Mas para homens e mulheres, fazer muito sexo leva a uma banalização da vida afetiva.
Fazer sexo de forma intensa, transformou a relação homem/mulher em uma panacéia.
Ninguém leva mais ninguém a sério!

Para a mulher, fazer sexo requer ao menos na teoria, um maior nível de responsabilidade.
Hoje a mulher encara fazer sexo com muitos homens como uma questão de ser superior ou inferior as outras.
A educação feminista prega que a mulher não deve esperar aparecer um homem com quem a mulher deve se casar e sim que ela faça sexo com quantas pessoas ela quiser, homens e mulheres.

Um exemplo do quanto isso está sendo forçado na mulher atual é o livro 50 Tons de Cinza.
O livro 50 Tons de Cinza foi a prova final.
A prova final e inegável de que as mulheres não gostam de sexo.
Elas ficam lendo essa merda de livro enquanto milhões de homens estão “caçando” e até pagando para que as mulheres façam sexo com eles!
Coitadinhas, se elas tivessem a experiência de ser homem por um dia, finalmente entenderiam o que é ter tesão de verdade.

Estudo associa perda da virgindade à incidência de divórcios.

As meninas de hoje, crescem com a ilusão de que poderão viver de forma hedonista a vida inteira e que tudo sempre vai dar certo.
Já abordei o papel da mídia e a lavagem cerebral que a mulher sofre desde a infância.
Mães que criam filhas sem regras, e pais covardes e omissos são responsáveis por tudo o que está acontecendo atualmente.
Essa idéia de que a mulher não deve ouvir o homem, causa imensos estragos na vida de ambos, e desembocou numa guerra dos sexos.
A incapacidade da família em educar, junto com a mídia que propaga valores feministas, criou monstros.
Um exemplo: a mulher atual é capaz de chamar seu animal de estimação de “meu bebê” e no dia seguinte fazer um aborto sem a menor crise de consciência!
Elas chamam isso de “liberdade de escolha” da mulher moderna, sem se dar conta de que se tornaram psicopatas.

Como o feminismo destruiu a capacidade de amar da mulher atual parte 5

Todas as pesquisas feitas em várias partes do mundo mostram que quanto mais bem sucedida financeiramente, mais infeliz no campo amoroso a mulher será.
Por que como ela será feliz sem poder dominar um homem superior a ela?
Nos EUA, as balzaquianas ricas são depressivas e vivem tomando remédios para conseguir suportar a raiva de estarem encalhadas.
Mas só ficam sozinhas exatamente porque se recusam a aceitar um homem que ganhe menos do que elas!
Essa é a “lógica” feminina nos dias atuais.
Obviamente, essa espiral de loucura sem fim nunca vai dar certo, porque quando elas não conseguem dominar o homem, se dizem vítimas e por esse motivo o vitimismo feminino nunca vai acabar.

Na sociedade atual, a mulher além de ter imensos privilégios, tem o mesmo poder financeiro que o homem e pode, se tiver capacidade para tal, superá-lo em diversas áreas.
Mas numa sociedade assim, a tendência cada vez maior será a de existir mulheres cada vez mais insanas e complexadas, porque se elas não aceitam homens “inferiores” tanto em nível econômico como em beleza, como poderão encontrar a felicidade?
A mulher foi enganada pela mídia feminista, porque é impossível dominar o homem da forma como elas desejam.
Mesmo com leis que só beneficiam as mulheres, cada vez mais homens continuarão se recusando a fazer o papel de parque de diversões e de provedores de fortes emoções para a mulher mimada e iludida do século 21.
A pressão que os homens sofrem para mudar a todo momento e se adaptar as exigências cada vez maiores das mulheres, faz com que eles se tornem alienados, estressados, e cada vez mais estão buscando uma fuga nas drogas e na bebida.
O homem é hoje somente um meio que a mulher utiliza para satisfazer sua megalomania.
A mulher atual despreza a mulher do passado, considera que elas eram fracas e burras por aceitarem amar homens pobres e sem poder.
A forma como a mulher é educada hoje, faz com que elas sejam extremamente competitivas com todos, e elas levam a necessidade de auto afirmação ao limite.
Mesmo quando acreditam ser superiores as rivais na disputa pelos homens mais destacados, e superior aos homens que ficam implorando por migalhas sexuais, elas não conseguem ser realmente felizes.
Nesse jogo de poder social, domesticar um homem destacado é vital, porque a auto afirmação da mulher depende disso.
O homem que está na matrix, mesmo que se ache forte, será subjugado e em muitos casos se tornará dependente da mulher.
Mesmo o homem mais distraído, percebe que a mulher perdeu a capacidade de amar.
No fundo eles sabem disso, mas não querem admitir que não são nada pra mulher atual além de um instrumento de auto afirmação.

Nos relacionamentos atuais, o amor é um teatro, tudo fingimento porque hoje o homem percebe que não será amado e que a única coisa que ele pode tirar de uma relação é o sexo.
O homem paga para ter sexo, mesmo quando ele está num relacionamento fixo e muitos fingem acreditar no amor feminino para não ter que lidar com a própria desvalorização.
Para esses homens é preferível viver uma vida de fingimentos com falsas declarações de amor, a ter que admitir a realidade.
Os homens poderosos, que estão no topo da cadeia alimentar, não se importam com a promiscuidade feminina porque são degenerados e mantém seus haréns sempre cheios de novas e belas mulheres.
Eles não importam com o fato de que não são amados, porque compensam isso com a imensa quantidade de mulheres que possuem.
O fato de que elas sempre orbitam em torno dos destacados, leva esses homens a terem a falsa sensação de que são valorizados pelas mulheres.
Eles ainda utilizam essas mulheres como um troféu, para se auto-afirmarem como machos superiores.

A mulher troféu, vale a pena ler!

O que pode ocorrer no futuro

Na verdade, algumas coisas já estão acontecendo.
Muitos homens simplesmente estão se recusando a manter um relacionamento fixo.
Alguns inclusive chegaram ao ponto de só fazer sexo com prostitutas, porque não aceitam lidar com a mulher atual.
Os governos ocidentais, sempre reagem rápido quando se trata de defender o interesse feminino e por isso cada vez mais leis são criadas na tentativa de impedir essa “fuga” do homem.
Ocorre que nenhuma lei tem sucesso contra as leis da natureza.
Leis e mais leis não vão impedir os homens de fugirem dos relacionamentos fracassados de hoje.
O homem está começando a perceber que a família acabou junto com o amor feminino, e que hoje tudo se resume ao sexo.
Homens musculosos, com carros caros, muita badalação e exibicionismo é o que as mulheres procuram nos relacionamentos hoje.
O que elas dão em troca?
Desprezo, traições, infernos emocionais e na maioria das vezes um sexo ruim, salvo raríssima exceções.

Como o feminismo destruiu a capacidade de amar da mulher atual parte 4

Na visão de mundo distorcida das mulheres “bem resolvidas” existe a necessidade de acreditar que elas dominam a situação.
A ilusão de controle total significa poder, e na lavagem cerebral que a mídia feminista fez na mulher, poder sobre os homens e superioridade sexual sobre as rivais, significa felicidade.
Na prática, o que a mulher quer é dominar um homem destacado através do seu poder sexual, e usá-lo como ferramenta para se auto afirmar perante as rivais.
É a felicidade exibicionista da mulher atual!
Mas essa ilusão de controle absoluto que as mulheres atuais alimentam, podem levá-las até mesmo a depressão.
Mesmo com toda a castração mental a que os homens são submetidos pela mídia e pelas mulheres, existe uma minoria de homens que não aceitam a dominação.
Esses homens, ao destruírem a ilusão de poder da mulher atual, provoca um “trauma” no qual muitas não são capazes de superar devido ao forte complexo de superioridade.

Como funciona o “amor” feminino no século 21

O homem hoje só será valorizado e respeitado, se for destacado, mas não é só isso.
Para satisfazer a ilusão de poder, a megalomania feminina, o homem precisa dar muito mais do que receber ou seja, o homem precisa ter poder de barganha superior ao da mulher para poder obter o mínimo de respeito e “amor” da mulher com mentalidade feminista.
A mulher atual acredita que por conseguir sexo com muito mais facilidade e por poder escolher com qual homem vai ficar, ela é superior.
Mas mesmo acreditando nessa superioridade, elas necessitam se auto afirmar a todo momento, porque são inseguras.
Por esse motivo a mulher se tornou obcecada em dominar um homem que ela considera superior a ela própria, porque isso é a confirmação máxima da sua superioridade como mulher.
A mulher confirma o próprio poder através do poder masculino.
Pelo mesmo motivo, a mulher não é capaz de amar um homem menos destacado do que ela própria, porque isso significaria que ela não é tão poderosa como acredita que seja!

Apesar de existirem alguns homens poderosos que são submissos, a maioria daqueles que são destacados não se deixam dominar pela mulher porque são mentalmente superiores.
Então por um lado temos mulheres paranóicas e complexadas que necessitam dominar homens poderosos para se sentirem realizadas, e homens poderosos que não se deixam dominar.
Mesmo a mulher que se apaixona e acredita estar amando, é egoísta e arrogante, porque acredita que chegou a hora de se vingar dos homens “machistas” que as oprimiam no passado!
Esse delírio impede a mulher de amar.
A mulher com mentalidade feminista prefere ficar meses, anos, e talvez até a vida inteira sozinha, porque esse orgulho faz com que elas se recusem a aceitar um homem “inferior” a ela e esse mesmo delírio de grandeza cegou a mulher, portanto o homem nunca mais será amador pelo que ele é e sim pelo que ele pode fornecer a mulher.

Filme incrível, mostrando como funciona a natureza utilitarista da mulher.

Como o feminismo destruiu a capacidade de amar da mulher atual parte 3

Na mente da mulher, fazer isso é algo justo e natural e elas nunca vão admitir que usam o sexo como moeda de troca para chantagear o homem.
Tem muito trouxa por aí, que só ganha um boquetinho meia roda, se levar a namorada para o cinema por exemplo, e tem que levar de carro e pagar tudo, senão termina a noite na punheta.
E os homens aceitam isso, e estão tão domesticados, que não enxergam o quanto estão desvalorizados e humilhados.
A mulher nunca vai usar o poder sexual dela para algo bom, ela usa apenas pra inflar o próprio ego e se dar bem na vida e não para escolher o homem que tem caráter!

A humilhação do homem no pós feminismo

Quanto mais caráter e vontade de ter uma família o homem possuir, mais ele vai sofrer e ser humilhado.
Quanto mais apaixonado, mais o homem será pisado e exigido.
A mulher sabe disso, mas finge que não sabe, porque se elas forem sinceras ocorrerá uma rebelião de betas provedores.
No pós feminismo o sofrimento do homem sempre vira piada, e o da mulher vira comoção nacional e internacional!

Não tenha dúvida de que a vida sexual e amorosa da mulher é infinitamente melhor que a do homem, porque a mulher comanda.
O homem vive sob constante stress, pressão e humilhação, mas ainda assim as mulheres sentem uma necessidade incontrolável de aumentar ainda mais a exigência e a pressão sobre os homens para se vingarem.
Mas por trás dessa necessidade de impor humilhações e exigências, se esconde a essência narcisista e sádica da mulher, que sempre existiu, mas nunca tinha tido oportunidade de aflorar.
Você nunca vai ouvir uma feminista tocando nesse assunto, porque na mente doente delas, a única coisa que importa é obter o domínio absoluto sobre os homens.
E para conseguir isso, elas precisam mentir o tempo todo, porque se elas admitirem que a mulher hoje tem vantagem sobre os homens no sexo e no trabalho, os homens finalmente iriam reagir e isso é tudo o que elas não querem!

Sobre a megalomania feminina

A mulher atual comprou a idéia de poder e superioridade de uma mídia feminista e que conspira contra o homem.
Por isso elas nunca ficam satisfeitas nem mesmo quando o governo cria privilégios para elas.
Nos relacionamentos, agem como se estivessem numa guerra, sempre querendo dominar o homem, submete-lo ao seu controle e para conseguir isso, elas tratam os homens com desdém e não importa o que ele faça por ela.
Interessante notar que a mulher considera o fato do homem se apaixonar por ela como um claro sinal de inferioridade e mais uma prova do quanto ela é superior ao homem.
Pesquisas postadas aqui nesse blog mesmo, provam que os homens se apaixonam primeiro e com mais intensidade do que as mulheres.
Só que a mulher se recusa a aceitar o amor de um homem pobre e que não ostente nenhum símbolo de poder.
Na era da estética e do superficial, demonstrar bondade e sensibilidade com as mulheres é atrair sobre si todo tipo de jogo emocional e pressão psicológica.
O complexo de superioridade da mulher atual não permite que a mulher “use” de forma positiva a dedicação masculina, e somente ostentando fortes símbolos de poder, o homem será valorizado e respeitado (inclusive pelos homens do seu círculo de amizade porque o homem que vive rodeado por mulheres é muito mais respeitado pelos “amigos”).
Sem beleza física, dinheiro e influência na sociedade, o homem perde sua utilidade na visão feminina e portanto não merece ser amado e respeitado.
O amor da mulher atual está condicionado as vantagens que o homem pode proporcionar a ela.
Por isso 75% dos pedidos de divórcios são feitos por mulheres e por isso a traição feminina em breve vai superar a masculina, isso se já não superou, porque pesquisas recentes indicam que mulheres da classe A estão traindo mais do que os homens do mesmo nível social.

A mulher do pós feminismo se tornou incapaz de amar um homem com menos destaque que ela.
O problema é que quase todas se sentem superiores aos homens, portanto hoje o amor feminino nada mais é do que uma lenda urbana.
É bem possível que num futuro não muito distante, os governos dos países ocidentais sejam obrigados a permitir a poligamia.
Porque o fato é que a mulher prefere ficar sozinha a conviver com um homem sem destaque algum e isso faz com que todas elas fiquem orbitando em torno de um mesmo tipo de homem destacado, os Alfas.
Elas acham os Betas “sem graça” e os desprezam profundamente e quanto mais o Beta tenta obter a aprovação delas, mais repulsivo ele se torna aos olhos femininos.
Os Betas acabam caindo em um círculo vicioso, que aprofunda ainda mais sua desvalorização no mercado sexual.
A mulher se recusa a ficar com os Betas, porque eles não satisfazem a fantasia de poder feminino e na visão feminina de poder, o poder é sexual.
Por isso elas deliram tanto com os astros da tv, porque elas sonham em aprisioná-los através da paixão para com isso confirmarem seu poder sexual.

Na realidade isso revela a grande insegurança crônica existente nos cantos mais obscuros da mente feminina.
Porque ela precisa a todo momento confirmar sua superioridade?
Porque ela mesma acredita que pode ser inferior as fêmea rivais.
Portanto o homem sem poder e prestígio nunca será amado por uma mulher que aparenta ter um nível de poder sexual igual ou superior ao dele.
Muito menos se pertencer a uma classe social inferior.
Porque ficar com um homem inferior não fornece para a mulher sinais visíveis de poder para que ela se sinta superior as suas rivais ou seja, ela não vai poder se auto afirmar como fêmea dominante.
Ela só vai se sentir feliz se conseguir “esfregar” na cara das outras que tem um macho superior e que ainda por cima está sob seu domínio.
Por isso a mulher é tão aficionada em fazer com que o homem pague para fazer sexo com ela, porque essa é a confirmação máxima de sua superioridade.
Quando uma mulher diz que se sente “realizada” no amor, ela na verdade está se sentindo superior as suas rivais e não porque o homem que está com ela seja honesto, sensível, bonzinho e digno de confiança!

Esse retrato sombrio que faço do mundo atual pode ser facilmente constatado no dia a dia, basta ser observador e possuidor de uma mente aberta, que seja capaz de entender as reais motivações do ser humano.
Alguém consegue imaginar uma “panicat” cuidando do esposo doente?
Alguém já viu a gostosa do bairro namorando o fracassado da rua?
Mesmo que relutem em admitir a verdade, o fato é que os homens estão aos poucos percebendo tudo isso.
Por isso muitos sentem tanto pavor em manter um relacionamento estável.
Quando estão mais velhos e experientes, os homens percebem que foram usados como provedores e um símbolo de poder pelas mulheres.
E quando elas se sentem mal por algum motivo, eles são acusados de não serem capazes de fazer uma mulher feliz!
A mulher acredita que a infelicidade dela, sempre é culpa dos homens.
A mulher acusa o homem quando não está se sentindo poderosa.

Porque as mulheres nunca estão satisfeitas?