Porque as mulheres adoram se fazer de vítimas parte 1

Antes de começar a ler esse post, assista esse vídeo.
O que os homens fazem pelas mulheres.

“Se eu fosse bonitão, gostosão e diretorzão você não acharia pegajoso.
Sua opinião de mulher é sempre a mesma merda, culpando o homem por tudo enquanto vocês ficam lá paradas só observando e escolhendo o melhor macho sem fazer porra nenhuma, sem sofrer de ansiedade pra abordar, sem sofrer de solidão, sem ter que ser fodão em tudo o que faz pra ter a minima chance de dar um beijo numa mulher descuidada e sem graça.
Se enxergue.”

Pobretão de vida ruim

Existem basicamente 2 características psicológicas que nascem com uma mulher: a dissimulação e o vitimismo.
Ambos estão intrinsecamente ligados.
O vitimismo, é uma extensão da dissimulação.
Se você parar para observar, vai notar que as pessoas que mais se utilizam do vitimismo, são também as mais dissimuladas e manipuladoras.
Ninguém pode negar que as mulheres adoram fazer o papel de vitimas!

530297_381522261939949_911204241_n

Durante milhares de anos, os homens sempre levaram a pior em tudo: desde morrer em guerras e assassinados, porque a quantidade de homens que são assassinados é 12 vezes maior do que o de mulheres, passando por trabalhar como escravos em jornadas de trabalho que chegavam a 16 horas por dia para levar o sustento para a família, até serem os últimos a abandonarem o navio em nome do “mulheres e crianças primeiro”.
Resumi muito, mas existem milhares de exemplos de como os homens são muito mais oprimidos do que as mulheres.

Captura de tela 2012-12-15 às 18.50.07

Como a própria matéria que postei no link sobre trabalho escravo prova, os homens sempre serão as maiores vitimas da sociedade.
Mas os homens continuam calados, e até certo ponto passivos, sem atitude.
O jovem masculinismo brasileiro é somente uma gota no oceano, e não tem a menor possibilidade de alterar essa realidade em grande escala.
Mesmo sendo historicamente privilegiadas pela sociedade, as mulheres conseguem fazer todos acreditarem que elas é que são as vítimas!
Sobre esse assunto, recomendo ler o livro O sexo privilegiado do historiador Martin Van Creveld.
Nesse livro, o historiador prova que os homens cometem um erro colossal ao tratar a mulher como mera vítima de uma suposta sociedade machista e opressora.
A mulher atual, que se diz tão ou mais capaz do que o homem, nunca abrirá mão do papel de vítima, porque isso é extremamente conveniente para ela.
O vitimismo que as mulheres com mentalidade feminista fazem questão de alimentar pode ser visto nos mínimos detalhes, é só ficar mais atento e observar.
Quando a mulher atual consegue alcançar algum êxito, a sociedade concede a essa mulher todo o mérito, mas se a mesma estiver sofrendo, sempre será encontrada alguma forma de culpar os homens.
Certa vez, resolvi analisar durante 1 mês as frases de msn e facebook das mulheres que eu conhecia.
O resultado foi esse:
Aproximadamente 45% das frases/dizeres eram de puro vitimismo, exemplo:
“ESSE SORRISO EM MEU ROSTO..HOMEM NENHUM VAI ROUBAR……”
30% eram de auto afirmação, exemplo:
“NÃO SOU MULHER DE COISAS FRACAS, SOU MULHER DE COISAS FORTES DE PERIGOS E ADRENALINAS”.
20% eram de provocação social, algo que a mulher “moderna” adora fazer com todos, especialmente com as rivais, exemplo:
“Olhe pro meu corpo e chore, você nunca vai ter o que é meu, olhe pro meu corpo e chore, você é uma comédia, eu sou mais eu! Chora recalcadaaaaaaa!!!”
5% Eram frases de grandes filósofos, que elas postam com o intuito de passar a imagem de mulher inteligente e culta, quando na verdade querem mesmo é engolir porra dos bombados na balada(mas só depois que eles pagarem tudo para elas, óbvio).

Captura de tela 2012-12-15 às 18.56.57

55 comentários em “Porque as mulheres adoram se fazer de vítimas parte 1

  1. marlon disse:

    mulher atual imprestável para relacionamento .

  2. realista disse:

    cara, se a mulher não foi oprimida pelos homens, então me diga o que é para você, proibir alguém de estudar durante séculos? E só depois do movimento feminista que passaram a ter esse direito. E esse é um dos motivos das feministas odiarem os homens machistas, pois as proibiam disso e daquilo. Esperando uma resposta não ofensiva a minha pessoa, só querendo discutir esse ponto.

    • Thiago disse:

      Lamento, mas de realista vc não tem nada, essa é uma das maiores mentiras do feminismo,e vc ainda acredita, as mulheres podiam estudar sim, tanto que profissões como de professor por exemplo, era considerada uma profissão feminina, na verdade meu amigo, antigamente nem homens e nem mulheres estudavam, já que antigamente as profissões eram perigosas, e pesadas, por isso que as mulheres só ficavam cuidando em casa, e os homens enfrentavam todos os perigos que vc pode imaginar pra prover a família, antigamente não existiam esses empregos em escritórios com ar condicionado, pq vc acha que o feminismo não funciona em sociedade que não são tecnologicamente avançadas

      • realista disse:

        se os homens não estudavam, então como é que haviam grandes filósofos antes mesmo de Cristo? Como: Sócrates, Platão e Aristóteles? Na Grécia antiga as mulheres eram consideradas como seres inferiores, portanto, suas funções eram somente de afazeres domésticos e a maternidade. Não eram permitidas nos estudos e também em serviços mais pesados. Sendo assim, conclui-se que os homens que determinavam o que elas podiam ou não fazer.

        essas suas afirmações foram baseadas em que época? Dizer que antigamente era isso e aquilo é muito vago.

        como eu disse antes, quero discutir o assunto, sou realista sim cara, não sou a favor do feminismo de hoje, porém, não sei sobre tudo. Essa também não é a minha área (história, sociologia), mas estou interessado em saber o que realmente aconteceu durante a nossa evolução. Certamente deve ter alguém aqui com muito mais conhecimento do que eu para me responder mais precisamente.

      • Anonimo disse:

        A nobre profissão de professora sempre foi e ainda é considerada algo de mulher, homens sofrem muito preconceito ao entrar nesse ramo mesmo que possuam muito mais méritos, qualificação e profissionalismo. Mas elas sempre PREFERIRAM a prostituição, seja direta ou indireta.

    • Charles disse:

      Troll que se intitula “realista”(piada né?), que tal transpormos seu questionamento para a sociedade contemporânea? Cerca de 50% dos analfabetos do Brasil pertencem à região Nordeste. E por que isso? Segundo você, a causa disso seria a “opressão machista”, rs. Mas a realidade nos mostra que o Nordeste detém um alto nível de pobreza e baixo desenvolvimento. A educação(boa educação) sempre foi um privilégio duma minoria que detinha o poder em mãos, sejam homens ou MULHERES.
      O feminismo apenas usa termos como “opressão” e “machismo”, como forma de alarde para conseguir mais direitos e menos deveres. Quê tipo de ideologia opressora é essa em que os opressores dedicam todas as formas de artes às “oprimidas”? Quê tipo de ideologia opressora é essa em que os opressores sempre puseram a vida das mulheres à frente das suas próprias vidas, poupando-as das guerras, dos trabalhos mais insalubres? Quê tipo de ideologia opressora é essa em que os opressores permitem que mulheres e feministas como você participem desse blog? Pois é.

      • realista disse:

        você está me julgando mal, cara. Leu o meu segundo comentário? Só não sou um imbecil que entra aqui no blog e vira um masculinista fanático sem ao menos tentar entender mais afundo as questões que envolvem a opressão contra as mulheres.

        sei muito bem o quanto o homem sofreu no decorrer dos séculos e que havia e, ainda há hierarquia na sociedade, obviamente os que estão em baixo sofrem muito. E atualmente, não vejo de forma alguma a mulher como vítima de opressão do machismo. Já disse, quero compreender a nossa evolução, comecei mencionando a Grécia antiga, onde os homens em Atenas tinham Academias para o estudo de ciências e artes e que não era permitido mulheres por serem julgadas como seres inferiores, logo, as mulheres aí eram oprimidas. E por que não faziam algo para mudar isso? Pois a morte era certa para elas. Posso dizer com toda certeza que a opressão contra a mulher não é mito, e de forma alguma estou descartando os privilégios que elas recebiam, como serem protegidas… mas que houve opressão houve.

        acho que perco meu tempo estudando essas coisas, até porque não vai ajudar em nada na minha área de fato, mas pra eu formar uma opinião máxima, preciso estudar a nossa história, posso afirmar aqui que muitos não estudaram e pegam opiniões formadas por outros e julga como certas baseando somente na nossa realidade atual.

        Charles, não precisa me atacar cara, só tente discutir o assunto, se você estiver certo e eu errado, não tenho problema nenhum em dizer que eu estava errado.

    • Dexter Morgan disse:

      Você caiu no conto das feministas.

    • Roberto Jr. disse:

      Eu não vou odiar as mulheres pelo fato de nenhum de meus antepassados homens serem “proibidos” de estudar pela rainha Vitória. Afinal, nem meu bisavô, avô, pai teve chance de estudos.

      • realista disse:

        Ótimo você ter essa postura, mas nem todos a tem. E outra coisa, mesmo você sabendo desses homens que foram impedidos de estudar, você sabe também que muitos homens estudaram e inventaram coisas magnificas, isso com toda certeza facilita a não desenvolver um certo ódio por causa desse fato que mencionas.

    • realista disse:

      @ Anonimo você disse “A nobre profissão de professora sempre foi e ainda é considerada algo de mulher”

      viram? Eu não quero ser como esse cara que não buscou a verdade realmente, e se baseia só em opiniões da nossa sociedade atual.

      Anonimo, sempre foi? Não, você está enganado. Mas se agora é considerado algo de mulher, isso não posso afirmar que esteja errado, mas pelo menos não compartilho da mesma opinião, meus professores são homens há apenas uma mulher, mas também a minha área é a tecnológica. É muito comum ter homens como professores. Já em escolas de ensino médio e fundamental, não fiz nenhuma pesquisa, mas acredito que o que você diz, é em relação a esses níveis. No entanto, eu tive professores homens no ensino médio…

    • Anônimo disse:

      Colega, as mulheres só começaram a exigir estudo e trabalhos recentemente, com a tecnologia avançada, e até hoje a maioria esmagadora dos homens faz o trabalho pesado e perigoso (veja estatísticas sobre acidentes de trabalho relacionadas ao gênero). Vi que você mencionou a Grécia antiga, curioso, era uma sociedade misândrica (pesquise sobre as amazonas gregas) e os grandes filósofos gregos tinham origens em famílias ricas, logo, todo o tempo livre para ir às praças e filosofar (mulheres de famílias ricas também tinham tempo livre)… algumas culturas oprimiram a mulher de certa forma, herança da própria evolução humana, o homem buscava o sustento e a mulher era protegida, tendo o papel de cuidar da casa e reproduzir, o nascimento de um homem, teoricamente valia muito mais. Biologicamente falando, a mulher tem um valor maior do que o homem, visto que na reprodução, uma mulher faz o trabalho de apenas uma mulher, e um homem pode fazer o trabalho de 100 homens, no ponto de vista feminino, homens são descartáveis. Porém,o ocidente não oprimia a mulher, apenas protegia, fato. E sim, você está certo quando diz que os homens determinavam o que elas podiam ou não fazer, afinal, a relação entre homens e mulheres nos anos 40-50 no ocidente funcionava no geral, como um pai que protege sua filha e esposa, está na liderança, é um provedor, traz o sustento, segurança e etc. Leia este ótimo blog, reflita, aceite o que fizer sentido para você e não tenha medo de ver a realidade, atualmente, as mulheres se comportam como crianças, porque a própria sociedade as trata como crianças, vitimizando, e alimentando esse coitadismo com uma opressão fantasmagórica por parte do gênero satânico.

      Parabéns ao dono do blog e colaboradores por colocarem o dedo na ferida, esta nova geração de “homens” (que no meu ponto de vista, são mulheres com pênis) precisa recuperar a masculinidade, sério, isso me preocupa. Grande abraço.

    • x 10 disse:

      vocês não passam de psicóticas ainda digo o seguinte você esta no blog errado

    • Ana disse:

      É mesmo? Na casa de meu avô, 6 filhos, 5 mulheres e 1 homem… elas trabalhavam na roça e ele foi enviado a escola…esta história não está em livros…. isto é realidade!

      • Anônimo disse:

        É mesmo? na casa do seu AVÔ? Faz quanto tempo isso? Provavelmente ele foi mandado à escola para estudar e ser um bom marido e provedor, e elas arrumariam um bom marido com as mesmas características que ele. Pare de se fazer de vítima.

    • O que você que as freiras faziam nos conventos além de rezar da Idade Media pra cá? E as faculdades do passado aceitavam todos! Só na epoca do paganismo era que o ensino era elitizado, com as tais escolas de mistério. E o que aconteceu na Era pagã parte 2 (Idade Moderna): a mulher começou a ser depreciada, porém a ela ainda estava disponivel esse direito. Realista que analisa história baseado em ideologias fraudulentas chega a ser contraditorio!

  3. Thiago disse:

    só corrigindo

    *cuidando de casa
    *sociedades

  4. Marcello disse:

    Temos de tratar as mulheres como esse cara fez :

  5. Marcello disse:

    Quem diria que a rede Bobo de televisão iria ensinar algo que preste:

  6. Dexter Morgan disse:

    “O que é isso?” “O que é isso?” “O que é isso?” “O que é isso?” “O que é isso?” “O que é isso?” “O que é isso?” “O que é isso?” “O que é isso?” “O que é isso?” “O que é isso?” “O que é isso?” “O que é isso?” “O que é isso?” “O que é isso?” “O que é isso?” “O que é isso?” “O que é isso?” “O que é isso?” “O que é isso?” ( DO ROSÁRIO, Maria ).

  7. Dexter Morgan disse:

    “O que é isso? O que é isso? O que é isso? O que é isso? O que é isso? O que é isso? O que é isso? O que é isso? O que é isso? O que é isso? O que é isso? O que é isso? O que é isso? O que é isso? O que é isso? O que é isso? O que é isso? O que é isso? O que é isso? O que é isso?”. ( DO ROSÁRIO, Maria ).

  8. BERNARDO disse:

    Todo o período da história antiga e adentrando a idade média somente uma pequena elite, em roma os senadores e família, na idade média os senhores feudais e família é que poderiam tem o direito de estudar. Se tú, realista,tivesse nascido nessa época e não fosse dessa classe tú serias ou escravo ou servo, camponês que era a grande maioria. Ficarias a cargo da casa, se fores mulher ou dos pesados serviços do campo se fores homem, fora as Guerras que eram frequentes que dizimavam …. homens.

    Pare de tanto vitimismo,realista, pegue um livro de história, de primeiro e segundo grau mesmo, e vai estudar!

    • realista disse:

      não consegue responder sem tentar me atacar?

      realmente nunca me interessei por história até agora, quis estudar desde o princípio. Com relação a pré-história encontrei pouca coisa.

      Vi alguns documentários sobre as primeiras civilizações e li a respeito da Grécia antiga, o que eu procuro é sobre a afirmação das feministas “as mulheres eram proibidas de estudar”. No material que li, e assisti, só encontrei o que disse em um dos comentários: na Grécia antiga, por exemplo em Atenas, as mulheres eram consideradas como seres inferiores, portanto, suas funções eram somente de afazeres domésticos e a maternidade. Não eram permitidas nos estudos e também em serviços mais pesados. Sendo assim, conclui-se que os homens que determinavam o que elas podiam ou não fazer e que de fato elas eram proibidas de estudar. A partir dai já posso dizer que essa afirmação das feministas não é uma falácia.

      • BERNARDO disse:

        Ai tadinha! A ofendida se ofendeu! Tô morrendo de pena! Vc tá botando os olhos em Atenas, so por que sabiamente os governantes dessa cidade não davam “educação” para as mulheres – E por que dariam? Eles já sabiam a merda que iria dar – Vc pega essa cidade como se fosseTODAS as cidades da grécia antiga. Vai estudar agora sobre ESPARTA, sua animal!
        Em Esparta a mulher tinha mais liberdade do que a mulher ateniense, mesmo vivendo na mesma época, inclusive liberdade de praticar o filicidio e direitos que a mulher ateniense não tinha,como o direito a educação, apesar de que essa sociedade que mais era voltada para guerra.

        No egito antigo as mulheres recebiam educação eram alfabetizadas, chegando inclusive a atrair a inveja dos gregos como Heródoto e o próprio Platão que elogiava essa cultura e a sabedoria de suas crianças, mulheres incluso. Se elas nunca produziram merda nenhuma decerto foi por causa de sua incurável preguiça, própria de todas as mulheres.
        Se vc morasse na Roma antiga e fosse escrava Tú serias analfabeta, animal ! Mesmo sendo homem ou mulher. Agora se tú fosse membro da família de um senador, vc seria alfabetizada e receberia a melhor educação do mundo, em todas as áreas, MESMO SENDO MULHER.

        A mulher ocidental do Sec. XVIII e XIX se fosse aristocrática produziria alguns obras como Frankenstein de Mary Shelley, uma mulher do século XIX. Portanto quando a mulher foi proibida pelos homens de estudar, ANIMAL?

        Se vc ler livros de história, Thompson mesmo, ( Edward P. Thompson, A formação da Classe operária) vai ver que a educação em massa como nos tempos de hj foi uma conquista! Que HOMENS e MULHERS da classe operária em sua maioria eram analfabetos e viviam em condições sub-humana. portanto se vc nascesse naquela época e fosse da classe operária, é lógico que vc seria analfabeta, fatalmente. Portanto não fale tanta estupidez!

        Agora eu pergunto, Por que dar esse poder as mulheres se mulheres são intrinsicamente irresponsáveis, e letradas produziram obras mágmas como o Manifesto SCUM de Valerie Solanas ou manifestações de ódio ao homem como Andrea Dworkin?
        É lógico que os antigos Atenienses sabiam a merda que era dar “educação” ou “liberdade” às mulheres.

      • D.Ramon disse:

        Em Atenas eram sim, eram mais machistas, pois acreditava que uma mulher não fosse de um raciocínio puro, em uma cidade estado onde a virtude era o lógico, o pensante, e de fato! Tinham la a sua razão! Mas mire-se em todos os outros estados da Grécia, mire-se em Esparta, na rústica Esparta, onde as mulheres faziam o serviço dos homens se estes precisassem, eram participativas em todos os aspectos. Mas eu encerro seu debate com um ponto de vista! Você acha que as mulheres nasceram subjugadas ou que nasceram com papeis próprios dentro de sua respectiva natureza? E que ao longo da história, o romper de paradigmas, de costumes da natureza feminina, foi algo fervorosamente difícil ou fora conquistado de forma ate rápida? ok, com algumas revoltas feministas, que seja, é necessário alguma voz de fato. Mas sinceramente, você esta sustentando um vitimismo feminino. A fêmea por ter sido um sexo fisicamente frágil em tempos de brutalidade, desenvolveu outras armas, como o vitimismo sendo uma delas, a manipulação, a preservação do próprio corpo para usa-lo como arma, para conquistar seus ideais. Sempre foi assim meu caro. E os homens sempre pagavam caro em igual. Agora…nos tempos atuais, é com a mulheres querendo o papel do homem, devem pois então, assumir os outros deveres das entrelinhas masculinas, como pagar por algo, desfrutar por igual com o homem, sem tirar vantagem, mas como disse… é algo tão da natureza delas.. tão enraizada.. que será difícil uma igualdade de verdade em uma sociedade onde a mulher tomou tudo a seu favor.

      • Pra você se sentir satisfeito: sim, na maioria das cidades da Grécia, as mulheres eram vistas como pessoas de segunda classe, assim como a maioria da população (composta por não cidadãos e escravos dos dois sexos). Podia até não ser proibido em uma ou outra Polis, mas a moral da época dizia que não era bom por as mulheres para estudar – como disseram alguns filósofos. As feministas estão corretas quanto a isso.

        Agora, em Esparta, por exemplo, as mulheres da elite estudavam, assim como os homens. Elas não tinham cidadania (superestimada, dado que o Poder Legislativo era monopólio do falecido Licurgo), mas, em compensação, não tinham a obrigação de prestar, na prática, 53 anos de serviço militar ao Estado, além de possuir o de fato controle sobre as propriedades do marido, além do direito de ter as dela.

        E não sofriam bullying sistemático para “endurecer a mente”, algo que todo Espartano homem sofria principalmente durante seu treinamento e que era institucionalizado na sociedade. De novo: toda feminazi gritaria pelo direito à vida política, mas nenhuma aceitaria passar pelo psicopata período de tortura que era o treinamento de um homem, no primeiro dia elas gritariam “Coitada de mim, patriarcado!”.

        A mulher realmente foi proibida de estudar no Brasil. Só em 1879 o governo as permitiu em cursos de ensino superior. De novo, olhar com com mais frieza e ver o conjunto de direitos e deveres, como no exemplo em Esparta: o homem podia estudar mas tal direito tinha como contrapartida o dever de sustentar a família. As feminazis defendem o direito de a mulher estudar – e estão absolutamente corretas sobre isso – porém ainda são a favor de o homem ter o dever de sustentar a casa. Duvida? Pergunte a qualquer feminazi o que ela acha de o homem pagar pensão, e ela vai começar com o vitimismo de sempre.

        Algumas feminazis, porém, no meio da discussão, defendem que ninguém tenha que sustentar ninguém. Mas só quando provocadas. Sem ninguém falar, elas são extremamente silenciosas quanto a isso, e extremamente passivas quanto à objetificação do homem pelo Estado.

        Pra resumir: feministas defendem ardorosamente direitos das mulheres (e até muitos privilégios), mas são curiosamente silenciosas (as mais moderadas) ou até mesmo abertamente contra terem que sofrer com uma igual contrapartida de deveres – exemplo pode ser encontrado quando a Noruega decidiu pelo alistamento militar obrigatório de mulheres, e feministas usaram todos os argumentos patriarcais possíveis para criticar tal igualdade.

        Isso é igualdadade para o feminismo: uns são mais iguais que outros.

    • realista disse:

      enviei uma resposta, mas ao que parece não foi enviada. Vou resumir o que disse.

      procurei a afirmação das feministas “as mulheres eram proibidas de estudar”. E de fato, foram na Grécia Antiga, em Atenas haviam academias para estudo e as mulheres eram proibidas de estudar. Logo, essa afirmação delas não é só uma falácia. Já em outros períodos da nossa história eu não sei, vou estudar, mesmo que não me ajude em nada na minha área, mas preciso estudar para formar uma opinião máxima.

      • Garou disse:

        As mulheres não eram impedidas de estudar. Dizer que as mulheres eram impedidas de frequentarem uma academia em uma cidade durante determinado período da humanidade é desonestidade intelectual. Muitos homens também eram impedidos de ter uma educação adequada.

        Procure saber sobre Hipátia de Alexandria. Era uma mulher da antiguidade, muito respeitada pela sua sabedoria. Existem muitos outros exemplos de notáveis mulheres para as ciências ao longo da história como Marie Currie e Ada Lovelace. O que acontece é que a maioria das mulheres nunca se interessou pelas artes e pelas ciências. E as feministas se aproveitaram disso. Desinteresse não é opressão.

    • realista disse:

      kkkkk ri das suas “ofensas”, porque sei a imagem que você criou de mim aí na tua cabeça, no entanto, cara, você está muito enganado, não leio pensamentos, mas só pela forma com a qual você escreveu deu pra perceber muito bem kkkk. Ah, sou homem. Só estou tentando buscar a verdade mesmo. Só disse “não consegue responder sem tentar me atacar?” porque não acho que seja necessário tentativas de ofensas, mas se quer me responder dessa maneira, foda-se cara. Vou pesquisar mais quando tiver tempo, semanas de provas e tal (não que isso te interesse), mas dei uma passada rápida aqui.

      • D.Ramon disse:

        Mas olha sr. realista, quer provas de que os argumentos não são pura revolta? Quer provas de que são realmente fato? Saia de casa, corra atras de mulheres, busque ajuda, faça o possivel para ter o maximo de mulheres que conseguir,de todas as formas que puder? gostam de cafajestes? vire um. Gostam de macho alfa? Torne-se pois então! E quando conseguir quase uma transa por dia, no desespero de sempre comer, subjulgar, esbofetear.. vera que no fim.. não tirou vantagem de nada.. gozaram tanto quanto você com algo a mais. E mesmo se cultuar um corpo, ou rosto, ou cultura, mente.. olha meu amigo, ja fui modelo comercial, tive corpo de estatua grega, modestia a parte, e sempre corri atras de comer o maximo possivel, tudo isto ferrenhamente, durante um ano… e consegui! Mas te falo.. RIcaçoes velhos e empapados comiam mais do que eu.. o agitar das chaves, os ternos, mulheres sabem mais de carros que nós, mais de vetuário do que nós, farejam status a distância, e este interesse..de tirar vantagem.. nunca foi culpa dos homens.. acho impressionante e abusivo você querer colher informação de gente como eu que viveu e correu atras para sentir na pele a podridão que é uma mulher..viva sua vida.. quer pesquisar? faça uma pesquisa de campo, depois que o fizer.. compreenderá tanta revolta de nossa parte ok? É dificil pra mim falar que sofri na mão de mulher por causa de minha natureza masculina, que se esfroça em me manter dominante e altivo diate de outros machos como você, não revelando fraqueza e zombando, como se eu estivesse a parte do sofrimento. A parte de uma crise, de uma revolta, e sinceramente, é bem isso que você esta fazendo neste blog, e olha amigo.. acho patético.. ou é bem ignorante a respeito de uma mulher, ou esta se fazendo de indiferente, de alheio da sacanagem feminina, que de uma forma inspira deboche e prepotência. Se não for este o caso.. saia e transe.. você verá, volte em um ano quando sua aura de cafajeste que custou a ser formada durante esta pesquisa, desmoronar com as pequenas e constantes vantagens que serão tiradas de você; dai, quando vier alguem como você hoje, e virar para você no seu possivel amanhã e disser: – as mulheres não são vitimas? me prove! – você ira sentir na pele a ignorância da pergunta.

      • realista disse:

        D. Ramon, quer saber o que sinto pelas mulheres de hoje? Desprezo e pena. Sou dotado de capacidade de observação e reflexão, sem querer acabei percebendo as lobas em pele de cordeiro que são. No entanto, me deparei com algumas questões que não sabia se realmente era verdade ou não, e uma delas a que apresentei aqui, o fato delas terem raiva por terem sido proibidas de estudar durante séculos. Ouvia isso delas e não sabia dizer se elas estavam se vitimizando ou se realmente estavam dizendo a verdade. O que fiz foi pesquisar a respeito desde o começo da nossa civilização, nesse aspecto sim, sou ignorante… pois só agora recentemente que me interessei em buscar os fatos já que não saiu falando o que os outros falam sem saber realmente se está correto ou não. Eu questiono sempre, enquanto não for buscar os fatos, não vou tomar partido nenhum. Prefiro pesquisar pra formar a minha própria concepção do que ser persuadido pelos outros. Tudo o que você disse no comentário eu já sei cara, apesar da minha ignorância no assunto.

      • realista disse:

        tudo o que é dito diretamente a minha pessoa, eu ignoro, já que, ninguém que não me conheça há anos, não tem ideia de como sou… na verdade, nem quem me conhece há anos sabe muito bem. Mas pode ficar tranquilo que só volto a comentar depois de ir mais afundo nos assuntos que envolvem toda essa questão. Se tudo o que elas falam são artifícios para conseguirem privilégios ou se realmente existe uma verdade ou outra no que dizem.

  9. BLOGGER-A INVENÇÃO DA SOCIEDADE HUMANA PELA MULHER
    “INÍCIO DA SOCIEDADE: MARCADA COMO UMA ‘PRIMEIRA REVOLUÇÃO’, A CONSTRUÇÃO DE ABRIGOS E A CONSTITUIÇÃO DAS FAMÍLIAS DETERMINAM O FIM DO NOMADISMO. A LINGUAGEM TOMA CARACTERÍSTICAS TRIBAIS E ESTA FOI UMA ÉPOCA DE RELATIVA FELICIDADE, COM O APARECIMENTO DO AMOR. OS MALES SURGENTES SERÃO A VAIDADE E A COMPARAÇÃO.” JEAN JACQUES ROUSSEAU – DISCURSO SOBRE AS ORIGENS E OS FUNDAMENTOS DAS DESIGUALDADES DA SOCIEDADE HUMANA…
    Os teóricos da Ciência da Economia construíram uma hipótese antropológica interessante sobre a origem da agricultura, da criação de animais domésticos e da cultura de pequenos animais domésticos para o fornecimento dos alimentos.
    Diz esta teoria que há cerca de 50 mil anos passados fora a fêmea do homo sapiens quem inventou a economia doméstica, a agricultura, a linguagem falada, a criação de animais domésticos, criou a casa, criou os primeiros móveis domésticos.
    O macho homo sapiens nesta época não participava da vida doméstica, que era formada pelo grupo das mulheres e das crianças e bebês humanos. Sabemos disso com certeza porque somente nos últimos cinco mil anos a cultura humana começou a estabelecer a associação entre o sexo heterossexual e a reprodução.
    Então o macho sapiens ignorava por completo a vida em família como conhecemos hoje, formada por um casal heterossexual como reprodutor da espécie humana.
    Este fato é o fundamento da História da cultura humana.
    Em sua solidão histórica, vagando pela natureza selvagem, passando cerca de nove meses prenha e tendo que cuidar da prole durante os períodos de puerpério tinha a fêmea sapiens a cuidar de si apenas as suas parceiras, já que o macho achava que nada tinha a ver com aquela situação embaraçosa em que as fêmeas vez por outra andavam envolvidas. Depois do período do pós-parto era longo o tempo de lactação do bebê humano. Solitariamente.
    O sexo para o homo sapiens masculino era indistinto: homens, mulheres, velhos, novos, irmãs, tias, mães, avós nada escapava porque não se havia estabelecido os fundamentos dos laços familiares, porque o macho sapiens vivia caçando, viajando, nômade, e coletando alimentos de fortuna, em grupos de homens machos sapiens, às vezes retornando ao círculo onde nascera casualmente.
    Como fixar o macho perto das fêmeas e segregá-lo do grupo dos machos, sedentarizando-o? Este era o desafio das fêmeas sapiens.
    Então, as fêmeas sapiens que não podiam acompanhar constantemente os machos sapiens em suas jornadas de caçadas e coletas de alimentos de fortuna, porque estavam sempre prenhas, amamentando ou carregando as suas crias, suas tralhas domésticas, sem saberem quem eram os pais de suas crias, – se elas pudessem associar o ato sexual ao ato da gestação – espertamente as fêmeas bolaram um conjunto de estratégias que em conjunto tornaram-se muito eficientes para resolver este problema:
    a) Inventaram o conceito de beleza feminina;
    b) Inventaram a família;
    c) Inventaram o amor;
    d) Inventaram a sexualidade macho-fêmea;
    e) Inventaram o casamento;
    f) Inventaram a fidelidade;
    g) Inventaram o lar;
    h) Inventaram a agricultura;
    i) Inventaram a criação de animais domésticos;
    j) Inventaram a Economia;
    k) Inventaram a propriedade privada;
    l) Inventaram a poupança;
    m) Inventaram as regras de moral e ética;
    n) Inventaram a religião;
    o) Inventaram a cultura humana;
    Com isso criaram atrativos para os machos sapiens se interessarem em permanecerem perto das fêmeas sapiens e das crias das fêmeas sapiens sem saberem que tinha participação genética naquele processo de reprodução, a priori, portanto, as fêmeas tiveram que criar muitos interessantes atrativos para que os machos trocassem a sua liberdade de bicho nômade pela sedentarização junto a uma prole que ele não assumira que fosse de sua cota genética.
    Quanta engenhosidade feminina!
    O conceito de beleza é uma invenção feminina, segundo o filósofo Rousseau, quando da pré-história a fêmea humana criou-o para se distinguir das outras demais fêmeas para prender e chamar a atenção do macho da espécie homo.
    Acontece que o macho pré-histórico era nômade e promíscuo. Para o macho toda mulher era igual, sem distinção, qualquer uma servia, a não ser por uma eventual doença ou velhice.
    Não havia sido ainda naquela época estabelecidas na cultura e na Biologia a co-relação de causa e de feito entre o sexo, o macho e a reprodução.
    Acontecia que as fêmeas, também promíscuas e infiéis como os machos, passavam por três ocasiões em suas existências em que precisavam da presença companheira que eram no momento final da gravidez, no parto, e na fase de aleitamento das crias, quando precisavam ser auxiliadas no parto e na fase pós-parto para cumprirem as suas atividades.
    Assim a fêmea precisou inventar a família, e consequentemente o amor moral, enquanto o macho somente conhecia o amor físico, sexual, casual.
    Então a fêmea inventou a beleza, começando a se enfeitar para atrair o macho e sedentarizá-lo, para ele sempre se lembrar daquela fêmea, mostrar que ela era diferente das demais fêmeas, bonita, usando adornos, cuidando dos cabelos, chamando a atenção para partes do corpo e para a sua identidade que era principalmente o seu rosto, começando assim uma competição com outras fêmeas pela atenção do macho.
    As fêmeas passaram a verificar as coisas que atraíam mais os machos em seus corpos para destacá-las, e a esconder as partes consideradas menos atrativas, para criar laços afetivos e morais. Assim for inventado o conceito de beleza.
    Que engenharia!
    A mulher inventou a família, o amor moral, a beleza, a monogamia, o ciúme, para manter a exclusividade e a fidelidade do macho através do afeto.
    A mulher para fugir do esforço da caça domesticou os animais que serviam de alimento, para fugir da coleta de alimentos enterrou e transplantou alguns vegetais e percebeu que poderiam viver e crescer, inventando assim a agricultura e economizando caminhadas pelas paragens para coletar alimentos.
    Os machos em suas caçadas precisavam do fator surpresa, por isso mal emitam ruídos que pudessem afastar as presas. Ao contrário as fêmeas sapiens precisavam se comunicar constantemente, permanentemente, continuamente, então inventaram a fala, a linguagem falada.
    As mulheres estabeleceram as primeiras regras de moral para organizarem o acesso ao novo brinquedinho sexual feminino, para isso veio de brinde a invenção da sensualidade feminina, ao contrário do folclore sobre o tacape e o estupro masculino, agora a mulher virou uma commodity sexual e precisava valorizar o acesso a ela com regras que permitiam e proibiam o sexo entre parentes, entre homens, e entre mulheres e crianças.
    Estava inventada a moral, a tradição, a Ética, e a religião foi o passo seguinte.
    A mulher vivia em uma situação privilegiada na era pré-tecnológica, quando o trabalho significava quebrar pedras com marreta, não como o é agora, quando trabalha-se atrás de um teclado de computador ou num caminhão com câmbio automático e direção hidráulica que até um tetraplégico consegue dirigir.
    O trabalho até duzentos anos atrás era considerado apenas um castigo para os pobres e analfabetos, não dava status, como hoje procuram as mulheres, as quais viviam como verdadeiras rainhas-dos-lares, na maior mordomia..
    Com tantos percalços no caminho de seu sucesso no mundo do trabalho fora de casa, o gênero feminino, ao par de descobrir a selvageria da competição do mercado de trabalho, tem ainda a enfrentar como segmento minoritário, todos os preconceitos e expectativas minimizantes do mercado profissional a respeito de sua capacidade ainda não cabalmente testada e comprovada em áreas onde está ausente, fugindo do labor duro, aí sim, protegida pelas tradição religiosa do trabalho penoso, como hoje ainda acontece nas áreas duras nas competições automobilísticas, motociclísticas, nas áreas de engenharia, enfim nas áreas consideradas “duras” da atividade humana, como sempre o fez ao longo da História, quando o macho do gênero quebrou pedras e fez guerras com a marreta e a espada, antes das invenções da britadeira e do míssil guiado, computadorizado, furtivo e inteligente.
    A maior invenção da evolução social do gênero humano foi a descoberta (ou a invenção) da divisão do trabalho social, e na era industrial a invenção da divisão de tarefas como na linha de montagem industrial e na área de serviços.
    O que quer dizer: antes o ser primitivo tinha que ser polivalente, fazendo de tudo em autonomia completa. Tinha que construir a casa, pescar, caçar, fazer as suas ferramentas, suas roupas, enfim fazer de tudo.
    Os homens criaram praticamente tudo que existe na vida moderna sem permitir a menor participação feminina, pois criaram, entre outras coisas: Submarino; Navio a vapor, Aviões, Automóveis, Computador, Sistemas Operacionais digitalizados e analógicos para dispositivos computadorizados, Helicópteros, hélice, Geradores elétricos, Solda Elétrica, Caneta esferográfica, Máquina de lavar roupa, Secadores de cabelo, Chapinha elétrica de cerâmica, Microprocessadores de semicondutor, Inventaram / descobriram a Física, Química, Matemática, Geografia, Filosofia, Psicologia, Medicina, Antropologia, Sociologia, Astronáutica, Astrologia, Engenharias e enfim, não deixaram quase nada para as mulheres descobrirem ou inventarem.
    Este fato deixou as mulheres em uma situação tal que as mesmas encontram-se sem condições de provarem as suas qualidades intelectuais por total ausência de qualquer oportunidade deixada pelos machos.
    Não existe nenhum fato histórico comprovando a teoria de que o homem oprimiu historicamente a mulher deixando-a neste estado de total submissão e desimportância tal que precisou de um movimento internacional de libertação e liberalização. Seria uma conspiração machista transnacional e intertemporal em uma época em que os continentes nem se imaginavam as existências uns dos outros, nas eras de pré colonização (pré-colombiana) e pré descobrimentos das Índias, Américas e África.
    Já faz tempo que com a divisão de tarefas podemos contar com a solidariedade mecânica social que nos permite trocarmos tarefas em troca de uma remuneração e encontrar produtos e serviços ofertados no chamado mercado, embora não seja algo muito justo e equânime (por isso que Karl Marx e outros filósofos protestaram ante as injustiças desta divisão assimétrica do trabalho social, mas isso é tema para muitas guerras e discussões, incluindo Jesus e tantos outros críticos da estrutura social).
    Nesta divisão do trabalho social percebemos que não existem papéis desimportantes, socialmente, embora a remuneração seja desigual, socialmente falando o trabalho do gari é tão importante socialmente quanto o do médico, ou do engenheiro ou do administrador.
    A sociedade moderna depende de funcionar interdependentemente e para isso precisa de cada um destes papéis sociais, vide que na década de 80 do milênio passado a Alemanha teve que incentivar a entrada de migrantes turcos para suprir a falta de mão-de-obra de carpinteiros, garis, encanadores etc… que eram bem-vindos e tinha muito boa remuneração por total falta de interesse dos bem escolarizados alemães que não desejavam ocupar estas funções de baixo status social mas, que não existindo tornavam a vida social impossível na Alemanha.
    Quando a mulher percebeu que deveria prever uma sua mudança na sua participação na divisão do trabalho social incluindo o papel de mãe aí sim colocou em risco a sobrevivência da espécie humana pela primeira vez em toda a existência do gênero humano.
    Sem a mãe e dona-de-casa o macho não teria tempo para inventar tudo que a tecnologia hoje oferece para a sociedade.
    Não sei como será no futuro, mas parece que Karl Marx tinha razão: mesmo que você pagasse o mesmo salário para o médico e para o gari, ainda assim teríamos médicos e garis, mas a sociedade teria que para isso aprender a rever o status social dos garis e dos médicos.
    Para mim acontece isso com relação ao papel social atual da mulher: elas apenas querem ser valorizadas em seus papéis de mães e de esposas, nada mais, por que o mundo do trabalho não é nada glamuroso, a não ser para os chefes e empresários e para algumas profissões bem vistas, e isso vai ser percebido pelas mulheres que trabalham fora, mas, tarde demais e então o prejuízo estará feito e será difícil voltar atrás aos papéis sociais anteriores à revolução feministas, como algumas sub-trabalhadoras operárias já descobriram dolorosamente.
    A mulher domou e domesticou as plantas, os animais o macho, civilizando-o e educando-o tornando o macho o ser humano que hoje é através da criação da religião, do culto aos mortos, da moral e da Ética. A mulher criou a civilização humana.

    • realista disse:

      é como diz no começo “Os teóricos da Ciência da Economia construíram uma HIPÓTESE.” Sendo assim cara, desconsidero isso boa parte do que li sobre as mulheres sapiens. Só com fatos para me convencer disso. Na verdade, no começo achei que era algum artigo feminista querendo atribuir um valor muito grande para a mulher nos primórdios. Da onde você tirou tudo isso?

    • Jairo Mattos disse:

      Que viagem desses teóricos..

  10. Blogger-A Invenção da sociedade humana pela mulher
    “Início da sociedade: marcada como uma ‘primeira revolução’, a construção de abrigos e a constituição das famílias determinam o fim do nomadismo. A linguagem toma características tribais e esta foi uma época de relativa felicidade, com o aparecimento do amor. Os males surgentes serão a vaidade e a comparação.” Jean Jacques Rousseau – Discurso sobre as origens e os fundamentos das desigualdades da sociedade humana…
    Os teóricos da Ciência da Economia construíram uma hipótese antropológica interessante sobre a origem da agricultura, da criação de animais domésticos e da criação em cativeiro de pequenos animais domésticos para o fornecimento dos alimentos.
    Diz esta teoria que há cerca de 50 mil anos passados fora a fêmea do homo sapiens quem inventou a economia doméstica, a agricultura, a linguagem falada, a criação de animais domésticos, criou a casa, criou os primeiros móveis domésticos.
    O macho homo sapiens nesta época não participava da vida doméstica, que era formada pelo grupo das mulheres, das crianças e bebês humanos. Sabemos disso com certeza porque somente nos últimos cinco mil anos a cultura humana começou a estabelecer a associação entre o sexo heterossexual e a reprodução.
    Então o macho sapiens ignorava por completo a vida em família como conhecemos hoje, formada por um casal heterossexual como reprodutor da espécie humana.
    Este fato é o fundamento da História da cultura humana.
    Em sua solidão histórica, vagando pela natureza selvagem, passando cerca de nove meses prenha e tendo que cuidar da prole durante os períodos de puerpério tinha a fêmea sapiens a cuidar de si apenas as suas parceiras, já que o macho achava que nada tinha a ver com aquela situação embaraçosa em que as fêmeas humanas adultas sexualmente a cada nove meses andavam envolvidas.
    Depois do período do pós-parto era longo o tempo de lactação do bebê humano. Solitariamente.
    O sexo para o homo sapiens masculino era indistinto: homens, mulheres, velhos, novos, irmãs, tias, mães, avós nada escapava porque não se havia estabelecido os fundamentos dos laços familiares, porque o macho sapiens vivia caçando, viajando, nômade, e coletando alimentos de fortuna, em grupos de homens machos sapiens, às vezes retornando ao círculo onde nascera casualmente.
    Como fixar o macho perto das fêmeas e segregá-lo do grupo dos machos, sedentarizando-o?
    Este era o desafio das fêmeas sapiens.
    Então, as fêmeas sapiens não podiam acompanhar constantemente os machos sapiens em suas jornadas de caçadas e coletas de alimentos de fortuna, porque estavam sempre prenhas, amamentando ou carregando as suas crias, suas tralhas domésticas, sem saberem quem eram os pais de suas crias, – se elas pudessem associar o ato sexual ao ato da gestação – espertamente as fêmeas criaram algumas táticas comportamentais que em conjunto tornou-se uma estratégia muito eficiente para resolver este problema:
    a) Inventaram o conceito de beleza feminina;
    b) Inventaram a família;
    c) Inventaram o amor;
    d) Inventaram a sexualidade macho-fêmea;
    e) Inventaram o casamento;
    f) Inventaram a fidelidade;
    g) Inventaram o lar;
    h) Inventaram a agricultura;
    i) Inventaram a criação de animais domésticos;
    j) Inventaram a Economia;
    k) Inventaram a propriedade privada;
    l) Inventaram a poupança;
    m) Inventaram as regras de moral e ética;
    n) Inventaram a religião;
    o) Inventaram a cultura humana;
    Com isso criaram atrativos para os machos sapiens se interessarem em permanecerem perto das fêmeas sapiens e das crias das fêmeas sapiens sem saberem que tinha participação genética naquele processo de reprodução, a priori, portanto, as fêmeas tiveram que criar muitos interessantes atrativos para que os machos trocassem a sua liberdade de bicho nômade pela sedentarização junto a uma prole que ele não assumiria como se fosse de sua cota genética.
    Quanta engenhosidade feminina!
    O conceito de beleza é uma invenção feminina, segundo o filósofo Rousseau, quando da pré-história a fêmea humana criou-o para se distinguir das outras demais fêmeas para prender e chamar a atenção do macho da espécie homo.
    Acontece que o macho pré-histórico era nômade e promíscuo. Para o macho toda mulher era igual, sem distinção, qualquer uma serviria, a não ser por uma eventual doença ou velhice.
    Não haviam sido ainda naquela época estabelecidas na cultura e na Biologia a co-relação de causa e de feito entre o sexo, o macho, gravidez e a reprodução.
    Acontecia que as fêmeas, também promíscuas e infiéis como os machos, passavam por três ocasiões em suas existências em que precisavam da presença companheira que eram no momento final da gravidez, no parto, e na fase de aleitamento das crias, quando precisavam ser auxiliadas no parto e na fase pós-parto para cumprirem as suas atividades.
    Assim a fêmea precisou inventar a família, e consequentemente o amor moral, enquanto o macho somente conhecia o amor físico, sexual, casual.
    Então a fêmea inventou a beleza, começando a se enfeitar para atrair o macho e sedentarizá-lo, para ele sempre se lembrar daquela fêmea, mostrar que ela era diferente das demais fêmeas, bonita, usando adornos, cuidando dos cabelos, chamando a atenção para partes do corpo e para a sua identidade que era principalmente o seu rosto, começando assim uma competição com outras fêmeas pela atenção do macho.
    As fêmeas passaram a verificar as coisas que atraíam mais os machos em seus corpos para destacá-las, e a esconder as partes consideradas menos atrativas, para criar laços afetivos e morais.
    Assim fora inventado o conceito de beleza.
    Que engenharia!
    A mulher inventou a família, o amor moral, a beleza, a monogamia, o ciúme, para manter a exclusividade e a fidelidade do macho através do afeto.
    A mulher, para fugir do esforço da caça, domesticou os animais que serviam de alimento; para fugir da coleta de alimentos enterrou e transplantou alguns vegetais e percebeu que poderiam viver e crescer, inventando assim a agricultura e economizando caminhadas pelas paragens para coletar alimentos.
    Os machos em suas caçadas precisavam do fator surpresa, por isso mal emitam ruídos que pudessem afastar as presas. Ao contrário, as fêmeas sapiens precisavam se comunicar constantemente, permanentemente, continuamente, então inventaram a fala, a linguagem falada.
    As mulheres estabeleceram as primeiras regras de moral para organizarem o acesso ao novo brinquedinho sexual feminino, para isso veio de brinde a invenção da sensualidade feminina, ao contrário do folclore sobre o tacape e o estupro masculino, agora a mulher virou uma commodity sexual e precisava valorizar o acesso a ela com regras que permitiam e proibiam o sexo entre parentes, entre homens, entre mulheres e com as crianças.
    Estava inventada a moral, a tradição, a Ética, então a religião foi o passo seguinte.
    A mulher vivia em uma situação privilegiada na era pré-tecnológica, quando o trabalho significava quebrar pedras com marreta, não como o é agora, quando se trabalha atrás de um teclado de computador ou num caminhão com câmbio automático e direção hidráulica que até um tetraplégico consegue dirigir.
    O trabalho até duzentos anos atrás era considerado apenas um castigo para os pobres e analfabetos, não dava status, como hoje procuram as mulheres, as quais viviam como verdadeiras rainhas-dos-lares, na maior mordomia..
    Com tantos percalços no caminho de seu sucesso no mundo do trabalho fora de casa, o gênero feminino, a par de descobrir a selvageria da competição do mercado de trabalho, tem ainda a enfrentar como segmento minoritário, todos os preconceitos e expectativas minimizantes do mercado profissional a respeito de sua capacidade ainda não cabalmente testada e comprovada em áreas onde está ausente, fugindo do labor duro, aí sim, protegida pela tradição e pela religião do trabalho penoso, como hoje ainda acontece nas áreas duras nas competições automobilísticas, motociclísticas, nas áreas de engenharia, enfim nas áreas consideradas “duras” da atividade humana, como sempre o fez ao longo da História, quando o macho do gênero quebrou pedras e fez guerras com a marreta e a espada, antes das invenções da britadeira e do míssil guiado, computadorizado, furtivo e inteligente.
    A maior invenção da evolução social do gênero humano foi a descoberta (ou a invenção) da divisão do trabalho social, e na era industrial a invenção da divisão de tarefas como na linha de montagem industrial e na área de serviços.
    O que quer dizer: antes o ser primitivo tinha que ser polivalente, fazendo de tudo em autonomia completa. Tinha que construir a casa, pescar, caçar, fazer as suas ferramentas, suas roupas, enfim fazer de tudo.
    Os homens criaram praticamente tudo que existe na vida moderna sem permitir a menor participação feminina, pois criaram, entre outras coisas: Submarino; Navio a vapor, Aviões, Automóveis, Computador, Sistemas Operacionais digitalizados e analógicos para dispositivos computadorizados, Helicópteros, hélice, Geradores elétricos, Solda Elétrica, Caneta esferográfica, Máquina de lavar roupa, Secadores de cabelo, Chapinha elétrica de cerâmica, Microprocessadores de semicondutor, Inventaram / descobriram a Física, Química, Matemática, Geografia, Filosofia, Psicologia, Medicina, Antropologia, Sociologia, Astronáutica, Astrologia, Engenharias e enfim, não deixaram quase nada para as mulheres descobrirem ou inventarem.
    Este fato deixou as mulheres em uma situação tal que as mesmas encontram-se sem condições de provarem as suas qualidades intelectuais por total ausência de qualquer oportunidade deixada pelos machos.
    Não existe nenhum fato histórico comprovando a teoria de que o homem oprimiu historicamente a mulher deixando-a neste estado de total submissão e desimportância tal que precisou de um movimento internacional de libertação e liberalização. Seria uma conspiração machista transnacional e intertemporal em uma época em que os continentes nem se imaginavam as existências uns dos outros, nas eras de pré colonização (pré-colombiana) e pré descobrimentos das Índias, Américas e África.
    Já faz tempo que com a divisão de tarefas podemos contar com a solidariedade orgânica-mecânica social que nos permite trocarmos tarefas/produtos por uma remuneração financeira, e encontrarmos produtos e serviços ofertados no chamado mercado, embora não seja algo muito justo e equânime (por isso que Karl Marx e outros filósofos protestaram ante as injustiças desta divisão assimétrica do trabalho social, mas isso é tema para muitas guerras e discussões, incluindo Jesus e tantos outros críticos da estrutura social).
    Nesta divisão do trabalho social percebemos que não existem papéis dispensáveis-desimportantes, socialmente, embora as remunerações sejam desiguais, socialmente falando o trabalho do gari é tão importante quanto o do médico, ou do engenheiro ou do administrador.
    A sociedade moderna depende de funcionar interdependentemente e para isso precisa de cada um destes papéis sociais, vide que na década de 80 do milênio passado a Alemanha teve que incentivar a entrada de migrantes turcos para suprir a falta de mão-de-obra de carpinteiros, garis, encanadores etc… que eram bem-vindos e tinha muito boa remuneração por total falta de interesse dos bem escolarizados alemães que não desejavam ocupar estas funções de baixo status social mas, que não existindo tornavam a vida social impossível na Alemanha.
    Quando a mulher percebeu que deveria tentar mudanças na sua participação na divisão do trabalho social incluindo o papel de mãe aí sim colocou em risco a sobrevivência da espécie humana pela primeira vez em toda a existência do gênero humano.
    Sem a mãe e dona-de-casa o macho não teria tempo para inventar tudo que a tecnologia hoje oferece para a sociedade.
    Não sei como será no futuro, mas parece que Karl Marx tinha razão: mesmo que você pagasse o mesmo salário para o médico e para o gari, ainda assim teríamos médicos e garis, mas a sociedade teria que para isso aprender a rever o status social dos garis e dos médicos.
    Para mim acontece isso com relação ao papel social atual da mulher: elas apenas querem ser valorizadas em seus papéis de mães e de esposas, nada mais, por que o mundo do trabalho não é nada glamuroso, a não ser para os chefes, empresários e para algumas profissões bem vistas, e isso vai ser percebido pelas mulheres que trabalham fora, mas, tarde demais e então o prejuízo estará feito e será difícil voltar atrás aos papéis sociais anteriores à revolução feminista, como algumas sub-trabalhadoras operárias já descobriram dolorosamente.
    A mulher domou e domesticou as plantas, os animais e o macho, civilizando-o e educando-o, tornando o macho o ser humano que hoje ele é, através da criação da religião, do culto aos mortos, da moral, do amor moral, da estética, dos rituais sociais e da Ética.
    A mulher criou a civilização humana.

    • Alberto G disse:

      Roberto Rocha, Qual é a sua cara?se toca. Você quer escrever mais que o blogger. um monte de baboseira sem sentido. Um mero mangininha. Ridículo.

      • BERNARDO disse:

        Esse Roberto (a) Rocha, deve ser mais um dos idiotas úteis que se embebedaram de ler Engels e agora pensa ter achado a “verdade absoluta”

      • É que só possuo Mestrado em Ciência Política, e ainda sou uma criança de 57 anos e com apenas 4 casamentos… Desculpe a inexperiência juvenil…Aceito críticas ad rem nunca ad hominem, pois um idiota pode fazer coisas inteligentes e um sábio pode escrever coisas idiotas. Um sábio pode sempre saber onde errou, um idiota nunca sabe onde acertou!

  11. +Realista +Alberto G e demais, obrigado pela atenção. Não sei se serve de comparação mas a reação dos doutores em Física e Matemática da Universidade onde Isaac Newton apresentou a sua tese de que a Lua caia em direção à Terra (lei da Gravitação universal) disseram tb que aquilo tudo era baboseira…

  12. NTroper disse:

    Empalador, você chegou a ver a nóticia sobre a Sara Winter, Ex-representante do FEMEN Brasileiro que se apaixonou por um homem e agora está em um relacionamento sério com o mesmo, e seu rompimento com o FEMEN Ucraniano?

    Qual a sua opinião a respeito do assunto?

  13. magno andre disse:

    Sou da (buREAL),este e meu blog, perfil casado a 23 anos,2 filhos ja criados,ajudei o feminismo a propagar a liberdade sexual ,tendo algumas relaçoes sexuais com mulheres ,antes
    e depois do casamento, tive estabilidade no trabalho (15Anos) antes de ter meu próprio comercio. Sou tudo que a sociedade espera de um homem da (buREAL) ne.
    ~Minha ex -esposa e a esposa atual,sempre ganharam mais do que eu. Entao nao me chame de realista, pois nem eles gostam muito de mim por la. Kk
    Acho que toda mulher que me da bola, não da bola pra outros homens nem são interesseiras ,nem fazem joquinhos ,so me dao bola por causa das rugas na minha testa ,que são um charme.kkk todas são femininas e românticas,so que ainda não tiveram a oportunidade de desmostrar. Nos da (buREAL) acreditamos que não e culpa delas se o governo autorizou
    Que na separação elas fiquem com os filhos ,casa e pensão do marido (99% dos casos).
    Que mulher ia querer isto ,uma casa pra limpar, crianças da um trabalho danado ,e ainda por cima receber so 30% de pensão, niquem merece ne. Nos achamos que o governo e a
    Justiça deveria parar com isto. E pura maldade com o sexo feminino.
    Sobre salario e libertinagem. Nos da (buREAL) temos uma opinião sobre isto, já que as mulheres ganham menos que os homens, nada mais justo do que elas transarem ou
    Sair com homens que ganham mais do que elas, chefes, clientes ou qualquer um homem que ganhem mais. Que possam ajudar a pagar as faturas, salao de beleza,ou sapatos etc.
    Afinal fazer uma mulher ficar atraente custa caro ta.
    Cafajestes, canalhas ,bad boys, Por favor senhores não se preocupe se elas amam este tipos de caras, isto e so quando elas estão novinhas ,depois dos 25 anos elas vao amar vocês (nerds, provedores, religiosos e etc…) pois já vao tar mais maduras e sabendo realmente o que querrr, O amor da mulher da pra todo mundo e infinito. E so esperar um pouco.
    Desenvolvimento pessoal : Malhar bastante pra ficar gostozao pra elas. Leitura : kama sutra ,pra ser o cara, Trabalho: ganhar muito dinheiro (afinal vc pode se apaixonar por uma mae solteira) e criança da despesa ne.
    Frases de auto ajuda do bloq: Lavou ta nova, (se disse que e seu ,não importa e seu, ) Passado e passado mesmo que tenha sido a uma hora. O que os olhos não vee, espero que o nariz não sinta. Se parece anjo , não importa o inferno e anjo. Fui no puteiro pra não trair o meu amor.
    Ela so tem olhos pra você. Os amigos delas sao seus amigos. Nos estamos errados elas certas.
    Daqui a uns anos ela te amara. DEPOIS HAVERA MAIS AQUARDEM
    O bloq (buREAL) ainda ta em fase de construção . E BREVE
    Moderador Magno Andre = vulgo (Iron iamam) . Apesar de ainda não ter sido lançado,
    Vejo por ai que a ( buREAL) já tem homens suficiente que já vivem esta filosofia.

  14. +Man: parece-me que o tiro saiu pela culatra histórica do revólver feminino! A mulher sempre usou da dominação carismática e sexual para controlar e exercer o seu poder sobre o macho; obrigou-o a fazer guerras, a governar o mundo a ser um desbravador estimulando o seu machismo, sua coragem e destemor, nós os machos é que trabalhamos, pescamos, caçamos, matamos e morremos em 99% dos casos, elas sempre escolheram o seu parceiro que a escolheria e o resultado disso foi uma seleção natural que resultou em machos mais altos e mais fortes do que as fêmeas num dimorfismo sexual causado por este comportamento feminino na hora de copular com o macho, os fracos e baixinhos não tinham grandes chances, hoje elas procuram os bem-sucedidos intelectualmente e economicamente; mas a sinestesia deste esforço escravo e submisso foi a Revolução Industrial machista que começou na Inglaterra, com o objetivo de diminuir o trabalho humano, em alguns casos de substituí-lo pelas máquinas a vapor e elétricas, e no caso da informática consistiu a nova era de revolução tecnológica em fazer computadores que calculam melhor do que o ser humano seria capaz. Resumindo; o placar homem X mulher na linha do tempo virou, depois de 2,5 milhões de anos, mas as feministas querem devolver a diferença.

  15. Man: P.S: parece-me que o tiro saiu pela culatra histórica do revólver feminino! A mulher sempre usou da dominação carismática e sexual para controlar e exercer o seu poder sobre o macho; obrigou-o a fazer guerras, a governar o mundo e a ser um desbravador estimulando o seu machismo, sua coragem e destemor, nós os machos é que trabalhamos, pescamos, caçamos, matamos e morremos em 99% dos casos, elas sempre escolheram o seu parceiro que a escolheria e o resultado disso foi uma seleção natural que resultou em machos mais altos e mais fortes do que as fêmeas num dimorfismo sexual causado por este comportamento feminino na hora de copular com o macho, os fracos e baixinhos não tinham grandes chances, hoje elas procuram os bem-sucedidos intelectualmente e economicamente; mas a sinestesia deste esforço escravo e submisso foi a Revolução Industrial machista que começou na Inglaterra, com o objetivo de diminuir o trabalho humano-masculino, em alguns casos de substituí-lo pelas máquinas a vapor e elétricas, e no caso da informática consistiu na nova era de revolução tecnológica em fazer computadores que calculam melhor do que o ser humano seria capaz. Resumindo; o placar homem X mulher na linha do tempo virou, depois de 2,5 milhões de anos, mas as feministas querem devolver a diferença.

  16. Carla disse:

    Bom eu sou mulher e vou pedir simplesmente q não me ataquem. Não me considero feminista, mas o grande problema é q estão generalizando tudo, nem todas as mulheres são vadias interesseiras e os homens atuais não são frouxos (nem todos). Eu acho simplesmente q a luta devia ser pela igualdade e não superioridade de algum dos gêneros, até pouco tempo atras a mulher era sim reprimida e só observar nossos avós e bisavós, e serviço doméstico tbm não é fácil, temos exemplos de mães solteiras q criaram seus filhos com o próprio esforço sem precisar de ninguém, nem mesmo do pai q não assumiu oq fez. E de varias vadias q se aproveitam para arrancar o máximo de dinheiro possível do companheiro. os homens são tão importantes quanto as mulheres, mas nenhum é melhor q outro. E falaram tanto de como nós mulheres nos fazemos de vitimas, mas quem esta se vitimizando são vcs e menosprezando o valor de todas as mulheres. Não esqueçam q vcs tem mãe e com certeza tem um minimo de admiração por ela. Se forem responder só peço respeito é minha opinião.

    • realista disse:

      Isso sim é um comentário de uma mulher (sem ofensas rsrs). Eu já disse que to tentando estudar a evolução da humanidade desde os primórdios, já que na época do colégio não me interessava por esse assunto. Só que é difícil arrumar tempo pra tanta coisa. Mas mesmo assim alguns já vieram com uma doze pra cima de mim kkkkkkkk imagina esse teu comentário…

      Então, Carla, tente buscar a verdade de fato, vai estudar a respeito desde o princípio e forme a sua opinião e debata aqui, mesmo assim não adianta pedir “não me ataquem” porque os caras já relaciona como vitimismo que é típico de muitas mulheres e não param pra pensar que dependendo do comentário não há necessidade disso.

  17. Claudia disse:

    Gostei de seu jeito de ser ‘Realista’, pois vejo que você é um cara humilde, educado e não está do lado de ninguém, simplesmente procura saber a verdadeira história. Muito diferente desses caras que são totalmente machistas, ou melhor, estão cegos, somente porque devem ter sofrido e se iludido demais nas mãos dessas mulheres interesseiras e idiotas!

  18. As mulheres estão cada vez mais tão parecidas com os machos que em breve os gays serão mais femininos do que as mulheres

  19. Rafael disse:

    Seguinte e simples não tem discussão a mulher de hoje em dia sabe que ela pode escolher quem ela quer o homem que ela quiser
    sabe que se ela tomar bomba e ficar gostosona sabe que ela pode ter um cara pra dar grana a ela

    enquanto continuarem dando moral a mulher ela sempre vai fazer o que quiser
    na boa
    a maioria das mulheres ainda mais as bonitas gostam de ser desprezadas muito de nos não queremos mais tem que ser assim pelo menos com a mulher gostosona que queremos pegar
    agora a mulher pra casar pra namorar e aquela que te da no primeiro encontro porque essa sim
    e a sincera não adianta a mulher travar a porta dela por 3 meses e isso fazer parte de uma mascara pra seu caráter

    quer da valor a mulher quer ? de valor a sua mãe essa você pode bajular pode agarrar ficar igual a um grude
    essa merece

    mulher e foda todas são
    depois que casa então
    qualquer mole que vc der já e motivo pra dar bola pra outro macho( porque elas já são treinadas desde pequena que nós somos iguais e não prestamos )

    respeito a cada tipo de homem o fiel ou o canalha
    o que discorda o que eu falei
    mas mulher e assim
    mete o peru sem pena se ela gostar de você vc vai saber e só ser natural

    vejo muito cara se fudendo pra agradar mulher eu mesmo era um
    se vc não nasceu um canalha tudo bem
    e treinamento com o tempo vc pega o jeito
    não tente mudar isso “comedor” não presta

    prefere ser o cara certinho ? boa sorte a vida e sua

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s