Como o feminismo destruiu a capacidade de amar da mulher atual parte 4

Na visão de mundo distorcida das mulheres “bem resolvidas” existe a necessidade de acreditar que elas dominam a situação.
A ilusão de controle total significa poder, e na lavagem cerebral que a mídia feminista fez na mulher, poder sobre os homens e superioridade sexual sobre as rivais, significa felicidade.
Na prática, o que a mulher quer é dominar um homem destacado através do seu poder sexual, e usá-lo como ferramenta para se auto afirmar perante as rivais.
É a felicidade exibicionista da mulher atual!
Mas essa ilusão de controle absoluto que as mulheres atuais alimentam, podem levá-las até mesmo a depressão.
Mesmo com toda a castração mental a que os homens são submetidos pela mídia e pelas mulheres, existe uma minoria de homens que não aceitam a dominação.
Esses homens, ao destruírem a ilusão de poder da mulher atual, provoca um “trauma” no qual muitas não são capazes de superar devido ao forte complexo de superioridade.

Como funciona o “amor” feminino no século 21

O homem hoje só será valorizado e respeitado, se for destacado, mas não é só isso.
Para satisfazer a ilusão de poder, a megalomania feminina, o homem precisa dar muito mais do que receber ou seja, o homem precisa ter poder de barganha superior ao da mulher para poder obter o mínimo de respeito e “amor” da mulher com mentalidade feminista.
A mulher atual acredita que por conseguir sexo com muito mais facilidade e por poder escolher com qual homem vai ficar, ela é superior.
Mas mesmo acreditando nessa superioridade, elas necessitam se auto afirmar a todo momento, porque são inseguras.
Por esse motivo a mulher se tornou obcecada em dominar um homem que ela considera superior a ela própria, porque isso é a confirmação máxima da sua superioridade como mulher.
A mulher confirma o próprio poder através do poder masculino.
Pelo mesmo motivo, a mulher não é capaz de amar um homem menos destacado do que ela própria, porque isso significaria que ela não é tão poderosa como acredita que seja!

Apesar de existirem alguns homens poderosos que são submissos, a maioria daqueles que são destacados não se deixam dominar pela mulher porque são mentalmente superiores.
Então por um lado temos mulheres paranóicas e complexadas que necessitam dominar homens poderosos para se sentirem realizadas, e homens poderosos que não se deixam dominar.
Mesmo a mulher que se apaixona e acredita estar amando, é egoísta e arrogante, porque acredita que chegou a hora de se vingar dos homens “machistas” que as oprimiam no passado!
Esse delírio impede a mulher de amar.
A mulher com mentalidade feminista prefere ficar meses, anos, e talvez até a vida inteira sozinha, porque esse orgulho faz com que elas se recusem a aceitar um homem “inferior” a ela e esse mesmo delírio de grandeza cegou a mulher, portanto o homem nunca mais será amador pelo que ele é e sim pelo que ele pode fornecer a mulher.

Filme incrível, mostrando como funciona a natureza utilitarista da mulher.

Como o feminismo destruiu a capacidade de amar da mulher atual parte 3

Na mente da mulher, fazer isso é algo justo e natural e elas nunca vão admitir que usam o sexo como moeda de troca para chantagear o homem.
Tem muito trouxa por aí, que só ganha um boquetinho meia roda, se levar a namorada para o cinema por exemplo, e tem que levar de carro e pagar tudo, senão termina a noite na punheta.
E os homens aceitam isso, e estão tão domesticados, que não enxergam o quanto estão desvalorizados e humilhados.
A mulher nunca vai usar o poder sexual dela para algo bom, ela usa apenas pra inflar o próprio ego e se dar bem na vida e não para escolher o homem que tem caráter!

A humilhação do homem no pós feminismo

Quanto mais caráter e vontade de ter uma família o homem possuir, mais ele vai sofrer e ser humilhado.
Quanto mais apaixonado, mais o homem será pisado e exigido.
A mulher sabe disso, mas finge que não sabe, porque se elas forem sinceras ocorrerá uma rebelião de betas provedores.
No pós feminismo o sofrimento do homem sempre vira piada, e o da mulher vira comoção nacional e internacional!

Não tenha dúvida de que a vida sexual e amorosa da mulher é infinitamente melhor que a do homem, porque a mulher comanda.
O homem vive sob constante stress, pressão e humilhação, mas ainda assim as mulheres sentem uma necessidade incontrolável de aumentar ainda mais a exigência e a pressão sobre os homens para se vingarem.
Mas por trás dessa necessidade de impor humilhações e exigências, se esconde a essência narcisista e sádica da mulher, que sempre existiu, mas nunca tinha tido oportunidade de aflorar.
Você nunca vai ouvir uma feminista tocando nesse assunto, porque na mente doente delas, a única coisa que importa é obter o domínio absoluto sobre os homens.
E para conseguir isso, elas precisam mentir o tempo todo, porque se elas admitirem que a mulher hoje tem vantagem sobre os homens no sexo e no trabalho, os homens finalmente iriam reagir e isso é tudo o que elas não querem!

Sobre a megalomania feminina

A mulher atual comprou a idéia de poder e superioridade de uma mídia feminista e que conspira contra o homem.
Por isso elas nunca ficam satisfeitas nem mesmo quando o governo cria privilégios para elas.
Nos relacionamentos, agem como se estivessem numa guerra, sempre querendo dominar o homem, submete-lo ao seu controle e para conseguir isso, elas tratam os homens com desdém e não importa o que ele faça por ela.
Interessante notar que a mulher considera o fato do homem se apaixonar por ela como um claro sinal de inferioridade e mais uma prova do quanto ela é superior ao homem.
Pesquisas postadas aqui nesse blog mesmo, provam que os homens se apaixonam primeiro e com mais intensidade do que as mulheres.
Só que a mulher se recusa a aceitar o amor de um homem pobre e que não ostente nenhum símbolo de poder.
Na era da estética e do superficial, demonstrar bondade e sensibilidade com as mulheres é atrair sobre si todo tipo de jogo emocional e pressão psicológica.
O complexo de superioridade da mulher atual não permite que a mulher “use” de forma positiva a dedicação masculina, e somente ostentando fortes símbolos de poder, o homem será valorizado e respeitado (inclusive pelos homens do seu círculo de amizade porque o homem que vive rodeado por mulheres é muito mais respeitado pelos “amigos”).
Sem beleza física, dinheiro e influência na sociedade, o homem perde sua utilidade na visão feminina e portanto não merece ser amado e respeitado.
O amor da mulher atual está condicionado as vantagens que o homem pode proporcionar a ela.
Por isso 75% dos pedidos de divórcios são feitos por mulheres e por isso a traição feminina em breve vai superar a masculina, isso se já não superou, porque pesquisas recentes indicam que mulheres da classe A estão traindo mais do que os homens do mesmo nível social.

A mulher do pós feminismo se tornou incapaz de amar um homem com menos destaque que ela.
O problema é que quase todas se sentem superiores aos homens, portanto hoje o amor feminino nada mais é do que uma lenda urbana.
É bem possível que num futuro não muito distante, os governos dos países ocidentais sejam obrigados a permitir a poligamia.
Porque o fato é que a mulher prefere ficar sozinha a conviver com um homem sem destaque algum e isso faz com que todas elas fiquem orbitando em torno de um mesmo tipo de homem destacado, os Alfas.
Elas acham os Betas “sem graça” e os desprezam profundamente e quanto mais o Beta tenta obter a aprovação delas, mais repulsivo ele se torna aos olhos femininos.
Os Betas acabam caindo em um círculo vicioso, que aprofunda ainda mais sua desvalorização no mercado sexual.
A mulher se recusa a ficar com os Betas, porque eles não satisfazem a fantasia de poder feminino e na visão feminina de poder, o poder é sexual.
Por isso elas deliram tanto com os astros da tv, porque elas sonham em aprisioná-los através da paixão para com isso confirmarem seu poder sexual.

Na realidade isso revela a grande insegurança crônica existente nos cantos mais obscuros da mente feminina.
Porque ela precisa a todo momento confirmar sua superioridade?
Porque ela mesma acredita que pode ser inferior as fêmea rivais.
Portanto o homem sem poder e prestígio nunca será amado por uma mulher que aparenta ter um nível de poder sexual igual ou superior ao dele.
Muito menos se pertencer a uma classe social inferior.
Porque ficar com um homem inferior não fornece para a mulher sinais visíveis de poder para que ela se sinta superior as suas rivais ou seja, ela não vai poder se auto afirmar como fêmea dominante.
Ela só vai se sentir feliz se conseguir “esfregar” na cara das outras que tem um macho superior e que ainda por cima está sob seu domínio.
Por isso a mulher é tão aficionada em fazer com que o homem pague para fazer sexo com ela, porque essa é a confirmação máxima de sua superioridade.
Quando uma mulher diz que se sente “realizada” no amor, ela na verdade está se sentindo superior as suas rivais e não porque o homem que está com ela seja honesto, sensível, bonzinho e digno de confiança!

Esse retrato sombrio que faço do mundo atual pode ser facilmente constatado no dia a dia, basta ser observador e possuidor de uma mente aberta, que seja capaz de entender as reais motivações do ser humano.
Alguém consegue imaginar uma “panicat” cuidando do esposo doente?
Alguém já viu a gostosa do bairro namorando o fracassado da rua?
Mesmo que relutem em admitir a verdade, o fato é que os homens estão aos poucos percebendo tudo isso.
Por isso muitos sentem tanto pavor em manter um relacionamento estável.
Quando estão mais velhos e experientes, os homens percebem que foram usados como provedores e um símbolo de poder pelas mulheres.
E quando elas se sentem mal por algum motivo, eles são acusados de não serem capazes de fazer uma mulher feliz!
A mulher acredita que a infelicidade dela, sempre é culpa dos homens.
A mulher acusa o homem quando não está se sentindo poderosa.

Porque as mulheres nunca estão satisfeitas?

Como o feminismo destruiu a capacidade de amar da mulher atual parte 2

A mulher lida com os homens como se estivesse numa guerra e nesse campo enquanto os homens são amadores, elas são profissionais.
Elas medem o valor delas não tanto pelo quanto ganham, mas sim pela facilidade que elas possuem de atrair e manipular os homens.

Como a mulher atual enxerga os homens como inimigos, faz tudo o que pode para tirar o dinheiro, o tempo, a saúde e até a dignidade do homem.
Isso tudo ocorre sem que eles tentem reagir mesmo quando percebem que não são valorizados, devido a fabulosa arma feminina: o sexo.
Para destruir a dignidade do homem, a mulher desdenha qualquer coisa que o homem faça, e mesmo os esforços mais incríveis para valoriza-la e conquista-la é tido como insuficiente.
Elas nunca estão satisfeitas com nada, e exalam prepotência.
Todas as grandes conquistas históricas que os homens conseguiram com enormes sacrifícios ao longo do tempo é diminuído e retratado pelo feminismo como algo menor que os homens fizeram, enquanto maltratavam as mulheres.
Interessante notar que até mesmo os grandes feitos científicos/tecnológicos dos homens nos dias atuais sofrem enorme desdém por parte da mídia e das mulheres.
Simultaneamente, qualquer coisa que a mulher faça, por mais comum que seja, é exaltado por todos como algo grandioso.
Vou dar somente um exemplo do que quero dizer.
Quando o Brasil recebeu a notícia de que Marcos Pontes, o nosso primeiro astronauta estava na ISS, não foi tão divulgado e muito menos valorizado como foi quando a FAB formou sua primeira piloto de A-1(AMX) que ficou semanas aparecendo constantemente na mídia.
Não é questão de menosprezar, mas sim de tratar com justiça os fatos.
Portanto o homem atual é pressionado por um lado pelo mercado de trabalho que exige qualificação e produtividade, e por outro lado, quando ele tem que disputar cada milímetro de atenção com as mulheres com homens mais destacados e mais submissos do que ele, que realizam todos os caprichos e vontades da mulher.

Certa vez, uma feminista me disse em uma discussão:
“Nós temos essas vantagens hoje, porque saímos na rua, fazemos barulho, enquanto vocês homens só pensam em sexo, em agradar mulher pra ter sexo, vocês são uns ridículos!”
Essa foi uma das pouquíssimas vezes em que eu concordei com uma feminista.

Mas isso acontece hoje, porque o homem olha para a mulher atual e só enxerga um corpo que pode ser comprado!
A mulher atual não inspira confiança no homem, então o homem que é inteligente e experiente, sabe que entrar num relacionamento é um barco furado e o resultado disso são relacionamentos no qual a única coisa que importa pro homem é sexo, e pra mulher, as vantagens e o status.
São relacionamentos fúteis, de curta duração e cheios de intrigas, com altíssimo índice de traições de ambas as partes e no qual trava-se uma enorme guerra de egos.
Esse é mais um dos efeitos colaterais do feminismo.

Se a mulher do passado amava de verdade mesmo um homem pobre e sem status, a mulher atual usa a grande necessidade do homem de ter sexo para controlar o homem, demonstrando assim toda a sua superioridade frente a um ser dependente e fraco psicologicamente, e usa o homem para competir na guerra de egos com suas rivais no mercado sexual.
A mulher não precisa de sexo e isso proporciona para a mulher total poder de escolha, e ela enxerga isso como um sinal de superioridade dela frente aos homens, e quanto mais carente um homem demonstra ser, mais ela acredita ser superior a ele e mais ela usará o sexo como arma para se vingar dos homens “opressores”.

Essa sede de vingança da mulher com mentalidade feminista, aliada ao utilitarismo natural da mulher, criou a necessidade de exigir sempre mais e mais dos homens para fornecer sexo.
Notem que as mulheres sempre colocam barreiras entre o homem/alvo e o sexo.
A mulher usa o sexo para domesticar o homem e impor sua vontade.

Nesse vídeo, vemos como a namorada abandona o Beta, e vai atrás do dono da Lamborghini.

Como o feminismo destruiu a capacidade de amar da mulher atual parte 1

Quando o homem do passado chegava em casa, estressado e muito cansado por 12 ou 14 horas de trabalho extenuante seja no campo ou nas fábricas, eles encontravam filhos que os respeitavam e uma esposa que o amava de verdade, sendo ele pobre ou rico.
Cuidar de uma família numerosa sem a ajuda da tecnologia como ocorre hoje, era muito difícil.
Mesmo assim, as esposas eram dedicadas, e procuravam o melhor para a família.
A mulher do passado aprendia com o bom exemplo de suas mães e avós e cresciam acreditando que deveriam amar um homem pelo seu caráter e vontade de constituir uma família.
Isso tudo foi destruído pelo feminismo e o homem atual deve entender que nunca mais a família terá valor.
O feminismo sempre contou com a ajuda dos donos da mídia, e foi incutida na mente feminina (e masculina) a idéia de que no passado as mulheres só eram “usadas” pelos homens.
Na tv as novelas, filmes e séries sempre tratam de reforçar essa idéia inclusive retratando a relação homem/mulher do passado de forma extremamente estereotipada!

A mídia sempre faz questão de passar a mensagem de que as mulheres eram humilhadas ao extremo, e que sua opinião nada valia.
Isso tudo é uma grande farsa que vende muito, porque tudo o que é ruim, vende mais do que aquilo que é bom.
Ao longo do tempo, passou a existir na mente feminina a idéia de que deveriam se vingar, e que os homens são seus inimigos e os culpados por tudo o que acontece de ruim no mundo.
A situação que existia no passado, de cooperação entre homens e mulheres para construir um mundo melhor acabou, e deu lugar a uma verdadeira guerra dos sexos.
As grandes corporações incentivaram a criação do feminismo e passaram a exigir que as mulheres entrassem no mercado de trabalho para competirem com os homens, e com isso baixar os salários que eram pagos aos homens.
Com a entrada da mulher no mercado de trabalho e com o aumento cada vez maior das exigências nas empresas, a inveja que a mulher sempre sentiu do homem cresceu e se transformou em um profundo sentimento de vingança.
Para saber mais sobre a inveja que as mulheres sentem dos homens, leia esse post aqui.
Mesmo com o fato de que as mulheres preferem não competir e não trabalhar diretamente com os homens, por causa da insegurança delas quanto a serem superadas, ainda assim hoje existe uma rivalidade muito grande para saber quem é o mais capaz, o mais inteligente, enfim, qual gênero é realmente capaz de mudar o mundo e fazer as coisas acontecerem.
Ocorre que essa disputa não faz o menor sentido, porque os homens entregaram o mundo totalmente pronto para as mulheres.
Inclusive os homens aprovam mais e mais leis que concedem enormes benefícios para as mulheres, e hoje elas são privilegiadas em todas as áreas!
Hoje a mulher vive plena liberdade sexual, além de competirem com os homens no mercado de trabalho em condições vantajosas porque graças a falta de visão do homem atual que vive em função da mulher, eles estudam menos do que elas, tanto que hoje cerca de 60% dos estudantes nas universidades são mulheres.
Na guerra dos sexos a disputa ocorre em todas as áreas, mas principalmente no campo das relações amorosas e sexuais, porque é aí que a mulher sempre foi capaz de dominar o homem.