Por quê as mulheres ganham menos? Parte 3

No mercado sexual, o homem tem que se mexer, porque senão morre virgem!
A mulher não, ela só precisa ficar comível, que imediatamente aparecem dezenas, centenas de homens famintos querendo sexo/namoro/casamento.
E elas querem a todo custo transferir essa facilidade para todas as áreas da vida, mas isso é impossível.
O homem cresce acostumado com a rejeição.
O homem é obrigado a aprender a lidar com a rejeição e a dificuldade desde cedo, mas a mulher não.
Isso cria um ser fútil e com forte complexo de superioridade, porque elas só ouvem elogios e sempre recebem ajuda dos homens.

A fantasia de perseguição no trabalho.

Veja o que diz a jornalista e escritora Danuza Leão sobre a questão do assédio sexual no trabalho:

http://books.google.com.br/books?id=ZDXi5DuKnQkC&pg=pA100&lpg=P %20A100&dq=Danuza+Le%C3%A3o +assedio&source=bl&ots=MEI3DrtwO7&sig=DJxW-rlv6xfaBehoeBio0MohRUA&hl=pt- %20BR&sa=X&ei=SoUbUI6gKeT40gHwwoH4DQ&ved=0CGMQ6AEwAQ#v=onepage&q=Danuza %20Le %C3%A3o%20assedio&f=false

Segundo estatísticas, cerca de 11% das mulheres sofrem assédio sexual no ambiente de trabalho.
Mas como na mente feminina existe um mundo paralelo repleto de vitimismo que beira a loucura, o número de mulheres que se dizem vitimas de assédio sexual ou moral é muito maior.
Quase toda mulher que trabalhou comigo também se achava uma injustiçada pela sociedade machista e opressora, mas as mesmas não aceitavam debater os detalhes sobre esses supostos casos de assédio sexual no trabalho, e muitas acabavam reconhecendo que tinham se enganado.
A verdade é que as mulheres se dizem “perseguidas” e “oprimidas” pelo machismo dos homens, mas toda pesquisa sobre assédio moral prova que na verdade são elas que perseguem e caluniam seus companheiros de trabalho!

Pesquisa:
Mulheres preferem ter homens como chefes:

http://www.paulopes.com.br/2009/05/mulher-chefe-persegue-mais-as-mulheres.html

Tem vários comentários de homens e mulheres concordando com essa pesquisa, mas destaco esse, porque passei isso muitas vezes quando trabalhei com mulheres e creio que todo homem que trabalhe em lugares aonde a maioria dos funcionários sejam mulheres também passam ou passaram por isso.

O caso mais ridículo que eu presenciei e que demonstra o quanto a mulher atual está cada vez mais insana, foi de uma que acusou um gerente gay de assédio sexual, porque segundo ela:
“Ele me olhava estranho toda vez que eu chegava pra trabalhar, e dizia que a minha saia era muito curta”.
Durante meses ela insistiu nessa mentira sem que o gerente soubesse, até que sem querer descobriu que o gerente era gay, e no fim acabou pedindo demissão porque não aguentou ser motivo de piada na empresa.
Outra acusação muito comum das mulheres, é a de que sofrem com o machismo dos homens no trabalho.
Qualquer cobrança de resultados por parte de um patrão ou mesmo de um outro funcionário que dependa do trabalho dela, é motivo para taxar isso de opressão machista.
Por esses motivos, as mulheres evitam ter homens como chefes.
Mas as maiores empresas e que pagam mais, são as que tem homens como donos e chefes.

Elas preferem ter os homens como chefes, porque homens tendem a “amaciar” quando lidam com mulheres.
Mas ao mesmo tempo, elas não querem ter que competir com a mão de obra masculina.
Na visão de mundo limitada da mulher, é humilhante receber ordens vindas de um homem.
Então elas acionam o botão do vitimismo e contando com total apoio dos homens, conseguem grandes privilégios.
A mulher se acostumou a ser elogiada o tempo todo, inclusive pela mídia.
Mas no serviço ela não será elogiada, pelo menos não tanto quanto gostaria.
Quando a mulher recebe elogios dos homens, ela acredita que está no comando da situação e que mesmo sem merecer, vai conseguir “se dar bem”.
Mas quando elas percebem que não é tão simples assim, ficam perplexadas!
Faça um teste você mesmo, e vai notar que elas se revoltam quando percebem que não estão no controle da situação.
No mundo atual, a mulher controla tudo, tendo inclusive o direito de matar o próprio filho fazendo abortos quantas vezes ela quiser (de forma legal ou ilegal).
Ocorre que a mulher se acostumou a viver numa zona de conforto patrocinada pelos homens e mais recentemente pelos governos (com o dinheiro de todos, principalmente dos homens).
Ou seja, os homens financiam a maravilhosa vida da mulher de forma direta, pagando a conta toda vez que querem manter algum tipo de contato com elas(inclusive quando se separam) e de forma indireta, através do dinheiro pago em impostos mas que são gastos não somente para financiar a saúde da mulher, mas principalmente em programas de transferência de renda que só beneficiam a mulher em detrimento do homem.
Claro que a mulher, assim como o homem devem ter o direito a educação e saúde.
Mas no mundo inteiro gasta-se muito mais com a saúde da mulher do que com a saúde do homem, e não é a toa que as mulheres vivem quase 10 anos a mais, mas se aposentam 5 anos mais cedo, cadê a igualdade de direitos?

Isso ocorre em todo mundo ocidental e a tendência e piorar ainda mais.
Estamos vivendo numa sociedade que fornece imensos privilégios para as mulheres e isso é inegável.
A mulher hoje não precisa se preocupar em ter que competir de igual pra igual com os homens, porque ela tem através do estado toda uma rede de proteção, e além disso conta com a eterna benevolência masculina caso não queira trabalhar.
Governos do ocidente querem interferir nas decisões de empresas privadas para beneficiar as mulheres.

Sobre as cotas para mulheres em empresas:

http://www.valor.com.br/carreira/2669802/no-brasil-maioria-e-contra-cotas-para-mulheres-nos-conselhos

Isso pode parecer loucura, mas está sendo discutido seriamente em quase todos os países ocidentais.
Interessante notar que as propostas de cotas para mulheres só envolvem trabalhos que não representam qualquer tipo de risco de morte.
Nestes ninguém se importa que os homens continuem sendo absoluta maioria e que continuem morrendo.
A pressão em empresas estatais é menor do que em empresas públicas, e a estabilidade é muito maior.
Por isso elas lutam tanto para conseguirem ter o governo como patrão.

Pesquisa:

Três em cada quatro mães ficariam em casa para cuidar do seu filho se elas pudessem se dar ao luxo, de acordo com uma pesquisa encomendada pelo uSwitch.

Três em cada quatro mães ficariam em casa para cuidar do seu filho se elas pudessem se dar ao luxo, segundo pesquisa divulgada ontem.
Uma família tradicional – com pai sustento da família e de uma mãe em tempo integral
– continua a ser o ideal para a grande maioria das mulheres, segundo o estudo.
A conclusão entre políticos, funcionários públicos e acadêmicos que o trabalho é bom para as mães e famílias, mas o que elas realmente querem é ajuda para cuidar dos filhos.
De acordo com a pesquisa, seis em cada dez mães que regressam ao trabalho depois de ter um bebê o fazem apenas para pagar dívidas ou aliviar as pressões financeiras.
Apenas uma em cada sete disseram que queriam desenvolver a sua carreira.
Os resultados, produzidos a partir de uma pesquisa encomendada pelo uSwitch de 1.008 mães, faz parte de uma série de pesquisas de opinião nos últimos anos, os quais mostraram que uma alta proporção de mães que preferem ficar em casa.

Fonte: http://www.dailymail.co.uk/news/article-2199539/75-new-mothers-stay-home-bring-child-afford-to.html#ixzz25q7FaaPG

“Chega de igualdade! Mulher não dá para ser soldado!” – diz capitã dos Marines

http://www.bemvindosoldado.org/2012/08/chega-de-igualdade-mulher-nao-da-para.html?spref=bl

Está cada vez mais difícil receber seguro-desemprego, e Apoioisso para os homens funciona como um estimulo extra para procurar um novo emprego sem depender da ajuda do estado e ninguém nunca viu algum homem protestando por causa disso.
Mas para as mulheres esse é o tipo de coisa que elas não aceitam, porque querem a todo custo viver do trabalho dos outros, sem grande esforço e ainda sendo valorizadas somente por serem mulheres.
Algumas profissões e os salários, notem que as profissões que remuneram melhor, são exatamente aquelas que as mulheres não gostam de trabalhar(tabela ano 2012):

Elas estão percebendo que cada vez mais os homens estão fugindo de relacionamentos estáveis, porque eles finalmente estão percebendo que sempre saem mais pobres depois de uma separação.
Isso está levando o movimento feminista a exigir que o estado funcione como o provedor substituto para as mulheres!
Todo o discurso de perseguição machista e de busca pela igualdade das feministas é uma farsa.
A realidade está provando isso.
Veja o que diz o economista e filósofo Steven Horwitz sobre as diferenças entre homens e mulheres no mercado de trabalho:

Observação sobre essa série de posts:
Fiz esses posts em 2012, portanto algumas leis que beneficiam as mulheres em detrimento dos homens foram aprovadas em 2013.

Por quê as mulheres ganham menos? Parte 2

O que significa o trabalho para homens e mulheres.

Para o homem, o trabalho significa um passaporte para a dignidade e a felicidade.
Um homem desempregado e sem carro vive em humilhação extrema.
Com um bom emprego e um bom salário, o homem consegue automaticamente maior visibilidade entre as mulheres, por causa do seu status e maior poder financeiro.
Com isso ele mantém sua autoestima e mesmo se for feio pode conseguir se relacionar com mulheres lindas e que são assediadas por todos os outros homens.
Desde a infância, os homens percebem que para eles não existe moleza.
Se querem ter algo na vida vai ser necessário muito trabalho, esforço e sofrimento.
O homem percebe desde cedo que a sociedade não será complacente com seus erros.
Então a maioria dos homens começa a trabalhar duro desde a juventude.
Dinheiro para o homem significa ser desejado e respeitado.

O mesmo não ocorre com a mulher, porque o poder da mulher não depende de fatores externos e sim do próprio corpo (ver post O poder sexual e a idéia de superioridade da mulher).
Se a mulher tem um bom emprego, ela usa isso para exigir ainda mais dos homens, porque ao poder sexual já existente soma-se o poder financeiro.
Ou seja, a mulher acaba acumulando um poder desproporcional ao que o homem possui hoje, e isso lhe confere enormes vantagens nos relacionamentos nos dias atuais.
Não é a toa que os homens que mantém um relacionamento estável sejam tão estressados.
Eles vivem preocupados em serem trocados por outro com mais status.
A mulher por ser passiva e utilitarista por natureza, sempre quer ter o máximo com o mínimo de esforço.
Assim como elas não precisam se esforçar para conseguir sexo, atenção e a ajuda dos homens, elas acreditam que podem ter essa facilidade também na vida profissional.
Mas quando se deparam com patrões e patroas estúpidos, que além de exigirem o máximo de produtividade ainda exploram seus funcionários, elas se retraem e percebem que a vida no mercado de trabalho não será tão fácil assim para elas como é na parte afetiva e sexual.
O resultado disso são mulheres indo para as academias, fazendo cirurgias plásticas e tomando todo tipo de remédio, fazendo todo tipo de regime, com a intenção de aumentar seu poder sexual para fisgar algum otário provedor.

A aversão que as mulheres naturalmente possuem ao sofrimento físico e psicológico(quando é provocado por outros nelas) faz com que as mulheres continuem tendo um desempenho proporcionalmente muito inferior ao dos homens nas áreas mais importantes.
As feministas, por se recusarem a enxergar a realidade ou por pura má-fé, exigem sempre mais e mais privilégios para as mulheres.
Óbvio que uma mulher receber menos desempenhando a mesma função e demonstrando o mesmo nível de produtividade que o homem não é justo, assim como não seria justo se o mesmo ocorresse com um homem.
Mas não é pela igualdade que as feministas lutam, elas lutam para obter ainda mais privilégios para as mulheres, e graças a cegueira e falta de atitude dos homens, elas estão conseguindo tudo o que querem.

http://www.alagoas24horas.com.br/conteudo/?vCod=121510

Ora se as mulheres querem uma vida pacata, sem necessidade de realizarem grandes esforços, então porque queimaram Sutiãs e até hoje não se cansam de ficarem peladinhas nos “protestos” histéricos que elas fazem, que mais parecem uma peça de teatro pornô?
A internet aumentou ainda mais a passividade e o utilitarismo feminino, porque hoje é possível procurar emprego sem sair de casa.
Mas ainda não é possível fazer entrevistas de emprego sem precisar ir até a empresa.
Tem que ir e depois de tanto se esforçar, pode acabar sendo rejeitado porque a vaga foi preenchida por alguém com qualificação superior a sua.
É exatamente isso que a mulher não aceita!
Elas querem ter na vida profissional, as mesmas facilidades e enormes vantagens que elas possuem no mercado sexual.
Mesmo sendo 60% dos estudantes nas universidades, as mulheres não são capazes de inventarem nada e mesmo com a ajuda de todos, principalmente do governo, não estão conseguindo dominar as áreas mais avançadas do conhecimento humano.
Observem como essa matéria é tendenciosa e só serve para alimentar ainda mais o eterno vitimismo feminino.

http://economia.estadao.com.br/noticias/economia,tecnologia-precisa-atrair-mais-mulheres,115573,0.htm

Entenda porque nas grandes empresas os homens são líderes superiores.

As duas mulheres, ao se sentirem ameaçadas devido a inteligência superior do homem, fizeram o que a mulher faz melhor, mentiram na tentativa de tirá-lo do páreo.

http://televisao.uol.com.br/aprendiz/ultnot/2008/05/21/ult5897u18.jhtm

Por quê as mulheres ganham menos? Parte 1

Em todo o ocidente, está ocorrendo um movimento de feminização nas formas de contratação das empresas e também nas relações de trabalho.
Na era pós feminismo as mulheres não aceitam nada menos do que o domínio absoluto da situação.
Utilizando-se do seu eterno vitimismo aliado a um enorme apoio da mídia, elas conseguiram grandes vantagens sobre os homens no mercado de trabalho.
Mas elas querem mais e a verdade é que nunca ficarão satisfeitas, porque faz parte da natureza feminina querer sempre obter o máximo de vantagens sobre todos.
No dia a dia, mas principalmente na mídia elas repetem como um mantra sempre a mesma falácia:
“As mulheres são discriminadas e ganham menos!”
Mas será que isso é mesmo verdade?
O que mostram os estudos a esse respeito?
Porque a mídia nunca mostra nenhum estudo detalhado sobre as diferenças salariais entre homens e mulheres, e fica apenas repetindo que elas ganham menos, mas sem ir atrás da verdade?
A verdade é que hoje a mulher recebe exatamente o mesmo que o homem para realizar as mesmas funções, e em alguns casos ganham o mesmo para fazerem menos!
Digo isso por experiência própria inclusive.
Cansei de trabalhar com mulheres que não tinham nem a metade do meu nível de produtividade, mas que recebiam o mesmo que eu e os demais homens.
Isso inclusive foi motivo de discussões e até de homens pedindo demissão porque não aceitavam trabalhar mais do que elas para receber a mesma quantia.
O fato é que as mulheres ganham cerca de 23 por cento a menos do que os homens, mas não porque são discriminadas, mas sim porque elas não querem ir trabalhar em áreas que pagam mais.
Porque elas não querem?
Não querem, porque a mulher não aceita o desconforto, elas fogem de forma impressionante de qualquer coisa que no entender delas gera desconforto.
Elas abrem mão de um salário melhor para não serem obrigadas a suportar qualquer tipo de desconforto, e a maior prova disso, é que ninguém nunca viu mulheres trabalhando em minas de carvão ou em plataformas
de petróleo.
Elas não aceitam tanto o desconforto físico, quanto mental.
Mas exigem receber igual!

http://agenciabrasil.ebc.com.br/noticia/2012-05-16/ibge-diferenca-salarial-entre-homens-e-mulheres-cresceu-em-2010

A verdade é que as mulheres sentem pavor de competirem de forma direta com os homens.
A própria mulher acredita que não tem capacidade de vencer a competição com os homens no mercado de trabalho.
As mulheres sabem que nas empresas pequenas ou médias, elas poderão usar o corpo como passaporte para subir na empresa ou no mínimo manter o emprego.
Eu já fui demitido porque o gerente precisava demitir um funcionário novo na empresa, e entre eu e uma mulher que tinha 40% da minha produtividade, ele escolheu a mulher.
Todos acreditavam que ele iria demiti-la, mas dias antes de tomar a decisão, ela fez uma chupeta para ele dentro do carro dele no estacionamento.
Advinha quem foi demitido?

Captura de Tela 2014-02-05 às 19.06.07

Só contei um caso, mas foram vários, e eu conheço dezenas de casos de homens que foram prejudicados porque tinham patrões ou gerentes manginas.
Mas em empresas multinacionais ou de grande porte, isso ocorre com uma frequência muito menor.
Nas empresas multinacionais, os chefes premiam os funcionários por seu nível de produtividade e competência, e as mulheres sentem pavor de serem pressionadas.
Pode notar isso, se alguém começa a fazer cobranças sobre o comportamento de alguma mulher, ela imediatamente vai reagir dizendo algo do tipo:
“Não suporto que fiquem me pressionando!” ou “Detesto saber que tem alguém me observando!”
A mulher atual não aceita ser cobrada!
Como as mulheres da geração pós feminismo estão acostumadas a só receberem assédio e elogios por parte dos homens, elas não sabem mais lidar com crítica e a cobrança.
A figura da mulher super poderosa, só existe em novelas ou filmes porque na vida real o que vemos são mulheres medíocres, fúteis, fracas, indecisas, sem cultura e que supervalorizam o próprio corpo.
No fundo elas acreditam que a única coisa boa que possuem e que pode tirá-las de uma vida de privações está entre suas pernas.
Não aceitam viver sob pressão, então vão trabalhar em lojas de roupas, prostíbulos, como atendentes de farmácia, vendem cosméticos ou estudam como loucas para tentar passar em concursos públicos e entrar em alguma empresa estatal que esteja precisando de gente em áreas burocráticas.
Na área de humanas predominam mulheres, então a pressão é muito menor.

Não é a toa que as mulheres prestam concursos públicos em maior número do que os homens e também passam mais em concursos públicos(embora proporcionalmente os homens tenham melhor rendimento).

http://jcconcursos.uol.com.br/Concursos/Noticiario/servico-publico-mulheres-homens-cargos-36605