Como as mulheres sabotam as próprias mulheres e a misoginia feminina parte 1

As feministas vivem berrando merdas do tipo: “Os homens são violentos e maltratam as mulheres, eles oprimem as mulheres!”

Mas a o tempo passa e a verdade sempre aparece.
Tudo o que eu vou escrever aqui eu sabia, porque sempre observei essas coisas nos lugares aonde trabalhei, em momentos de lazer ou em relatos de várias mulheres.
A programação genética feminina faz com que as mulheres sempre busquem a máxima atenção e aprovação masculina.
Isso ocorre porque a mulher precisa atrair o maior numero de machos possível para selecionar os destacados ( alfas) para procriar.
Ocorre que o tempo passou, as coisas mudaram mas isso não alterou a programação genética da mulher (e nem do homem).

Isso faz com que as mulheres, ainda mais do que os homens demonstrem ter um comportamento predatório no seu circulo social e que visa destruir a reputação das outras mulheres que são instintivamente encaradas como concorrentes na eterna disputa pelos mais destacados.

Esse é um fato real, impressionante e acima de tudo revelador e não vejo nenhuma feminista sequer mencionar esse estudo.

Kelly Vallen, uma jovem americana que sofreu maus tratos por parte de suas colegas e “amigas” da irmandade universitária, depois que souberam que tinha sido abusada sexualmente por um colega.
No entanto, em vez de abandonar a fraternidade, Kelly dedicou-se a saber a causa do ataque feminino.

Ela realizou uma enquete com 3.020 mulheres norte-americanas entre 15 e 18 anos de idade, para conhecer as suas atitudes.
Com os resultados, Kelly escreveu um livro onde detalha que 90% das mulheres entrevistadas mencionaram ter uma grande amiga ( ou elas acreditam que sejam) ; não obstante, 84% assinalou ter sofrido por causa de alguma outra mulher, isso demonstra a vontade das mulheres de destruírem a vida de outras mulheres.

Muitas vezes, as mulheres agem de forma inconsciente sem saber que estes comportamentos podem marcar uma pessoa pelo resto de sua vida. Em geral elas apelam mais para a ofensa psicológica que a física, e o ambiente de trabalho é o local onde existem a maior quantidade de agressões entre mulheres.
O Workplace Bullying Institute, destaca que em 2010, 80% de mulheres empregadas sofreram algum tipo de assédio por parte de outras mulheres.

As agressões mais comuns são a sabotagem e o abuso de autoridade.
Estima-se que duas em cada 10 mulheres sofrem de bullying trabalhista, que vai desde a agressão verbal até a física que em geral resulta na dispensa de uma das duas ou das duas mulheres envolvidas.

Saiba mais sobre bullying no link do WORKPLACE BULLING INSTITUTE

Veja essa entrevista com Kelly Vallen :

O seu artigo no New York Times criou uma tempestade on-line , tanto as mulheres com empatia e aqueles que pensaram que estava sendo muito dura.

O que você aprendeu?

Kelly Vallen : Que eu não estava sozinha nestes sentimentos e ansiedades.
Eu pensei que as outras mulheres estavam desfrutando de suas amizades na sua maior parte, e eu era a única que estava pensando sobre algumas dessas questões em um nível mais profundo.
Foi inacreditável ver centenas de mulheres estendendo a mão, dizendo que estes comportamentos realmente precisam parar.
Mas eu realmente não gosto ficar so falando na blogosfera.
Eu gosto de pensar em mim como uma pessoa forte, mas que foi muito difícil.
Havia muitas más interpretações e ataques pessoais.
Um monte de mulheres que não concordavam com você parecia querer jogar a culpa em outro lugar – nos homens, especialmente.

O que você pensa sobre isso?

Kelly Vallen : Eu não estou dizendo que o sexismo não existe, mas eu acho que é justo segurar um espelho, ao mesmo tempo, enquanto mantemos os megafones.
As mulheres estão realmente se machucando, e estamos fazendo isso uns com os outros de muitas maneiras.
Eu sei disso porque eu já ouvi isso de 3.000 mulheres.

Sobre as mulheres, o que surpreendeu você?

Kelly Vallen : Vamos começar com as boas notícias.
Noventa por cento das mulheres disseram que tinham uma amiga sólida em sua vida.
Isso é uma notícia maravilhosa. Mas 84% dessas mesmas mulheres disseram ter sofrido ferimentos real e genuíno nas mãos de outras mulheres.
Que me chocou.
Mais do que isso, 88% disseram que havia uma corrente de maldade e negatividade que assola o gênero.

Porque você acha que a mulheres têm capacidade de ferir mais as outras ?

Kelly Vallen : As mulheres têm um estilo diferente de se relacionar – que significam muito para si.
Estamos socializados desde a mais tenra idade e confiamos uma na outra.
Eu acredito que quanto mais perto você estiver, mais risco tem de ser ferido.
Há que citar, “Os homens podem ferir meu corpo, mas as mulheres vasculham a minha alma.”

2 comentários em “Como as mulheres sabotam as próprias mulheres e a misoginia feminina parte 1

  1. Gabriel Gomes disse:

    É foda! As mulheres competem demais entre si, de uma maneira visceral às vezes. Sem falar da falsidade que elas têm umas com as outras. Nós homens devemos nos unir cada vez mais, afim de não nos tornarmos como elas.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s